VaticanoO cardeal Javier Lozano Barragán, presidente do Conselho Pontifício para a Pastoral da Saúde da Santa Sé, anunciou que o Vaticano finalizou um documento sobre o uso da camisinha na luta contra a aids, proibida até o momento pela Igreja Católica, e agora o texto está sendo examinada pelo órgão fiscalizador de doutrinas do Vaticano.

Barragán indicou em entrevista coletiva que o relatório, encomendado pelo Papa Bento XVI, já está nas mãos da Congregação para a Doutrina da Fé para ser examinado.

O cardeal não comentou uma eventual data de publicação do estudo nem revelou o sentido do documento, ou seja, se é propício ao uso do preservativo em determinados casos.

O cardeal assinalou que o estudo, que tem cerca de cem páginas, nasce da preocupação do Papa com o assunto.

“Seguindo o desejo do Papa, fizemos um estudo preciso do ponto de vista científico, teológico e moral”, acrescentou Barragán, expressando ainda seu desejo de que, após o exame pela Congregação para a Doutrina da Fé, Bento XVI “possa dizer o que é mais conveniente sobre este assunto”.

O cardeal fez tais afirmações em entrevista coletiva na qual apresentou a 21ª Conferência Internacional sobre Aspectos Pastorais da Cura de Doenças Infecciosas, no Vaticano.

Até o momento, a Igreja Católica se opõe ao uso do preservativo, tanto em caráter anticoncepcional como no de prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, como a aids.

Segundo um artigo publicado em abril pelo jornal La Repubblica, o documento finalizado agora pelo Conselho Pontifíci para a Pastoral da Saúde se referiria apenas ao uso do preservativo por parte de pessoas afetadas por doenças infecciosas graves.

Fonte: Estadão