A Congregação para a Doutrina da Fé condenou, em primeira instância, o ex-pároco italiano dom Carlo Chiarenza, acusado de ter abusado sexualmente de um jovem entre os anos 1989 e 1990.

Atualmente com 38 anos e vivendo nos Estados Unidos, a vítima, Teodoro Pulvirenti, denunciou os abusos no ano passado, em uma coletiva de imprensa, usando como prova a gravação de uma conversa entre ele e Chiarenza.

A Congregação para a Doutrina da Fé, órgão do Vaticano, considerou Chiarenza, ex-pároco em Acireale, na Itália, culpado pelos episódios de pedofilia.

De acordo com a sentença do processo canônico, Chiarenza “deverá se afastar por alguns anos da diocese, não assumindo encargos eclesiásticos e nem praticando o ministério público”.

O religioso pode apresentar um recurso contra a decisão em até 60 dias.

[b]Fonte: Ansa
[/b]