O Vaticano criticou nesta terça-feira a decisão da diocese alemã de Freiburg (sudoeste) de abrir a possibilidade de comungar os divorciados casados de novo.

O vaticano enfatiza que isso não reflete nenhuma mudança na posição da Igreja.

Trata-se de uma decisão “assinada pelo bispado de Freiburg e que em nada conta com o aval da conferência episcopal alemã. É um documento puramente local”, afirmou aos jornalistas o padre Federico Lombardi, porta-voz da Santa Sé.

A conferência episcopal é dirigida pelo arcebispo de Freiburg, Robert Zollitsch.

Segundo a doutrina católica, um homem e uma mulher contraem matrimônio por toda a vida. Por isso, a ruptura do sacramento do matrimônio e um novo casamento os impediam de comungar na missa, caso sua união anterior não tivesse sido anulada por um tribunal eclesiástico.

O papa Francisco recomendou aprofundar na reflexão sobre este doloroso tema, que já se encontra na ordem de dia do conselho consultivo dos cardeais e que será abordado em um próximo sínodo extraordinário em 2014 sobre a pastoral familiar e matrimonial.

Questionado pela AFP, Robert Eberle, porta-voz do bispo de Freiburg, explicou que esta decisão era “uma mão estendida” aos divorciados casados outra vez, que seria aplicada caso por caso.

[b]Fonte: swissinfo[/b]