O principal diplomata do Vaticano acusou meios de comunicação de retratarem de forma “vergonhosa e enganadora” as acusações de abuso sexual feitas contra padres italianos e sugeriu que pode estar em curso uma campanha contra a Igreja Católica.

O secretário de Estado do Vaticano, Tarcisio Bertone, criticou a forma como os meios de comunicação vinham relatando a investigação realizada por promotores de Turim sobre um clérigo acusado de pagar um homem de 24 anos de idade para não denunciá-lo devido à prática de abusos sexuais no passado.

Uma outra investigação envolve suspeitas de abuso cometido por um dos padres mais conhecidos da Itália, Pietro Gelmini, 82.

Em comentários feitos à rádio do Vaticano e publicados na terça-feira, Bertone afirmou respeitar o trabalho dos promotores, mas criticou os meios de comunicação por darem uma atenção supostamente exagerada a acusações ainda não comprovada, acusações essas que, segundo disse, desvirtuavam a imagem da Igreja Católica.

“Algumas vezes, parece haver um plano (para se cobrir esses assuntos dessa forma)”, afirmou.

A Igreja Católica da Itália não enfrentou até agora escândalos de abuso sexual como os surgidos nos EUA, cuja Arquidiocese de Los Angeles selou um acordo de 660 milhões de dólares no mês passado com as vítimas desse tipo de crime.

Recentemente, no entanto, meios de comunicação italianos deram destaque a dúvidas sobre a possibilidade de clérigos do país terem cometido abusos sexuais.

Fonte: Reuters