O Vaticano aponta a reforma agrária e o favorecimento das populações rurais como a solução para a crise alimentar, noticiou nesta quinta-feira a agência católica Ecclesia.

A posição foi manifestada pelo Conselho Pontifício Justiça e Paz, por ocasião da cúpula sobre segurança alimentar da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), em Roma.

“A questão da reforma agrária nos países em vias de desenvolvimento não pode ser negligenciada, para que se confira a propriedade da terra aos cidadãos e se favoreça assim o uso de milhares de hectares de terra cultivável”, diz uma nota divulgada pela Ecclesia.

O Vaticano afirma que a escalada dos preços dos bens alimentares “poderia se transformar numa oportunidade de crescimento para os países mais pobres do mundo”, desde que as nações mais ricas se empenhem no seu “desenvolvimento agrícola”.

O Conselho Pontifício Justiça e Paz disse ainda estar também preocupado com a eventual redução da área de cultivo diante da produção de biocombustíveis.

“Não se pode pensar em diminuir a quantidade de produtos agrícolas destinados ao mercado de alimentos, ou às reservas de emergência, a favor de outros fins que, mesmo se pertinentes, não satisfazem um direito fundamental como o da alimentação”, diz a nota.

O Vaticano lamenta ainda a especulação financeira sobre as matérias-primas, pedindo a “regulação” de preços.

Fonte: Lusa