O secretário do Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-religioso, Felix Machado, expressou sua desconfiança diante das recentes estatísticas que mostram que pela primeira vez os muçulmanos superam os católicos em número de fiéis, com 1,322 bilhão e 1,115 bilhão, respectivamente.

“Há estatísticas que não são muito cuidadosas. Na realidade, são precisas para algumas confissões e para outras não”, disse Machado em entrevista publicada neste domingo, 20, pela imprensa italiana.

O secretário se referia aos números incluídos no último relatório do instituto americano World Christian Database (Base de dados do Mundo Cristiano), que pela primeira vez mostram como os muçulmanos superaram o número de católicos.

Machado afirmou que é difícil contabilizar quem é budista ou quem é muçulmano, pois “falta qualquer tipo de registro”, já que para se converter ao islã é preciso apenas recitar diante de testemunhas “a shaada”, ou seja, declarar que não há outro Deus além de Alá.

Segundo o representante do Conselho, “não existe nenhuma estagnação da evangelização”, apenas o fato de os católicos “serem menos barulhentos que outros movimentos religiosos”.

Para o prelado, a Igreja Católica pode contar, no entanto, com “dados precisos e sem margens de erro”, pois em cada paróquia, “inclusive na menor ou em qualquer lugar perdido do mundo”, existe um registro dos batizados.

Machado não explica se nas estatísticas do número de católicos estão incluídos os que após o batismo decidiram mudar de religião ou os que se declaram ateus.

As estatísticas do instituto americano mostram que 20,45% da população mundial professa a fé islâmica, e que existe uma tendência de alta nos próximos anos.

Segundo o Anuário Vaticano relativo a 2005, o aumento dos católicos foi de 1,2%, totalizando 17,2% da população mundial.

Em 1983, os muçulmanos constituíam apenas 13,8% da população mundial, enquanto os católicos nesse ano representavam 18%.

O World Christian Database afirma que o crescimento dos muçulmanos foi favorecido por uma maior taxa de natalidade em relação a outras áreas do mundo onde prevalecem os católicos.

Por outra parte, o número total de cristãos, que englobaria também protestantes, ortodoxos e anglicanos, é de 2,153 bilhões.

Segundo o instituto americano, em seguida aparecem os hinduístas, com 869 milhões, as pessoas que não praticam nenhuma religião (772 milhões), os seguidores da tradicional religião chinesa (383 milhões), os budistas (378 milhões), as religiões étnicas (259 milhões), outras religiões (104 milhões), os sikh (25 milhões), e os judeus (14 milhões).

O World Christian Database revela ainda que existem 152 milhões de ateus no mundo.

Fonte: Estadão