O porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, afirmou neste sábado que o bombardeio que o Exército de Israel realizou na faixa de Gaza, e que deixou pelo menos 150 mortos, afastará de novo as esperanças de paz para a região.

Após a ação militar israelense, “o ódio crescerá ainda mais e as esperanças de paz voltarão a se afastar”, disse Lombardi à rádio Vaticano.

“Certamente, será um golpe duríssimo para o Hamas. Ao mesmo tempo, é bastante provável que não faltem vítimas inocentes, e que estas sejam muitas”, disse. Lombardi afirmou que a ação militar de Israel, apesar de prevista, “impressiona por suas dimensões”, e que terá péssimas conseqüências.

Logo depois dos atentados, a comunidade internacional condenou os ataques. Os Estados Unidos, a Liga Árabe e a Europa pediram clemência em nome dos inocentes. O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, pediu clemência do movimento radical Hamas para que não aumente a escalada de violência. No entanto, em comunicado emitido pela Casa Branca, o governo chamou os radicais de terroristas.

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, e o alto representante para Política Externa e Segurança Comum da União Européia (UE), Javier Solana, também pediram a interrupção imediata dos ataques.

O rei Abdullah da Arábia Saudita entrou em contato com o presidentes egípcio, Hosni Mubarak e o presidente da ANP (Autoridade Nacional Palestina), Mahmud Abbas, para ‘lançar uma iniciativa árabe e internacional destinada colocar fim nos ataques israelitas para salvar inocentes, mulheres e crianças

Fonte: Folha Online