O prefeito da Congregação para a Causa dos Santos, o cardeal José Saraiva Martins, afirmou nesta terça-feira que “não se perderá tempo” no processo de beatificação do papa João Paulo II.

Em entrevista transmitida na “Radio Vaticana” em vista do 3º aniversário, em 2 de abril, da morte do pontífice polonês, Saraiva Martins disse que, atualmente, a causa de beatificação de Karol Wojtyla se encontra na fase de preparação da chamada “positio”, que recolherá toda a documentação relativa ao caso.

Saraiva Martins disse que, após a redação da “positio” por parte do postulante do processo, o sacerdote polonês Slawomir Oder, esta passará à Congregação para a Causa dos Santos, que começará a analisar o documento.

“Não sei quanto tempo pode passar até que chegue à Congregação, meses, ou inclusive um ano. Não acho que o postulante também saiba.

A única coisa que posso garantir é que, assim que tivermos a ‘positio’, a estudaremos sem perder tempo”, disse Saraiva Martins.

O cardeal português acrescentou que seu dicastério “deseja que João Paulo II chegue o mais rápido possível aos altares e pode ser chamado de Beato, para responder assim ao clamor dos fiéis”, que durante o funeral do pontífice pediam que fosse “Santo súbito”.

Em 2 de abril de 2007, por ocasião do segundo aniversário de sua morte, foi encerrada a fase diocesana do processo de beatificação de João Paulo II e se iniciou a chamada etapa romana, para elaborar a “positio”.

Entre os documentos que serão incluídos na “positio” está o caso da suposta cura “milagrosa” da freira francesa Marie-Simon-Pierre, que, após implorar a João Paulo II e escrever seu nome em um papel, viu desaparecer todos os sintomas e dores de mal de Parkinson, doença da qual sofria de forma muito avançada.

Fonte: EFE