O Vaticano expressou hoje pesar pela execução de três cristãos na Indonésia e lembrou que em várias ocasiões pediu clemência às autoridades daquele país, ressaltando os esforços da Santa Sé em favor da reconciliação e da convivência pacífica entre religiões.

Em comunicado, o Vaticano afirmou que soube com pesar da execução de Fabianus Tibo, Dominggus da Silva e Marinus Riwu, considerados responsáveis pela violência que custou a vida cerca de 200 muçulmanos em Poso, na Indonésia, no ano 2000.

O Vaticano disse que o cardeal Angelo Sodano, o ex-secretário de Estado, enviou ao chefe do Estado indonésio, Susilo Bambang Yudhoyono, duas cartas –em 5 de dezembro de 2005 e em 7 de março de 2006– pedindo clemência em favor dos três condenados, e que outros passos na mesma linha foram dados em 13 de dezembro de 2005, 14 de fevereiro, 12 de agosto e 20 de setembro de 2006.

“Colocando-se em um plano estritamente humanitário, inspirado na posição da Igreja Católica sobre a pena de morte e levando em conta as particularidades do doloroso caso, a Santa Sé pretendeu contribuir para os esforços em favor do processo de reconciliação na Indonésia e à tradicional convivência pacífica entre as diferentes religiões”, diz o comunicado.

Fabianus Tibo, Dominggus da Silva e Marinus Riwu, condenados a morte por liderar a milícia cristã que matou cerca de 200 muçulmanos em 2000 e acusados de incitar a violência sectária, foram fuzilados na quinta-feira passada nos arredores da cidade de Palu, na região central da ilha de Célebes.

Fonte: Folha Online