O Vaticano nomeou o advogado americano Jeffrey Lena para fazer a defesa judicial em todo o mundo de padres católicos acusados por abuso sexual, informou o jornal italiano “La Stampa”.

Lena, de 49 anos, e que era advogado do Banco do Vaticano (ou IOR, Instituto das Obras Religiosas), ficou conhecido por ser o defensor do Papa Bento XVI quando este foi prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé e recebeu acusações no estado americano do Texas de encobrir os abusos sexuais contra crianças por parte de sacerdotes.

A causa contra o então cardeal Joseph Ratzinger foi arquivada depois de o Departamento de Estado americano ter dito que, após a sua eleição como Papa, ele gozava “de imunidade por ser chefe de Estado”.

Segundo a imprensa internacional, a Igreja Católica americana foi condenada até agora a pagar cerca de US$ 2,3 bilhões desde 1950 em diversas indenizações a vítimas de abusos sexuais.

A diocese de San Diego, por exemplo, já gastou US$ 198 milhões em indenizações, enquanto que a arquidiocese de Los Angeles desembolsou US$ 660 milhões, pagos a 508 pessoas.

Segundo o “La Stampa”, dos 150 mil sacerdotes e religiosos que serviram à Igreja Católica americana durante os anos 70 e 80, cerca de 500 foram acusados por pedofilia, o que representa 0,3% do clero do país.

Fonte: EFE