O Vaticano publicou nesta segunda-feira em seu site um guia sobre o que fazer em caso de abusos sexuais contra menores por parte de membros da Igreja Católica. Segundo o jornal espanhol “El País”, no texto, a Santa Sé afirma que os abusos “devem sempre” ser denunciados a autoridades civis. Nos casos mais graves, o próprio Papa poderia afastar o religioso pedófilo.

Embora a Igreja esteja sob crescente pressão para reagir à onda de denuncias de pedofilia envolvendo padres, o vice-porta-voz do Vaticano, Ciro Benedettini, disse, segundo o jornal, que este não é um guia novo.

De acordo com Benedettini, o texto teria sido produzido em 2003, publicado “em nome da absoluta transparência imposta pelo Papa” Bento XVI, que vem negando acusações de que, antes de chegar ao mais alto posto da Igreja, teria acobertado padres envolvidos nos escândalos. A publicação do guia foi uma decisão da Congregação para a Doutrina da Fé, mas nunca havia sido difundida, segundo o vice-porta-voz do Vaticano.

As leis que se aplicam atualmente e nas quais se baseia o guia são o documento Sacramentorum sanctitatis tutela, de abril de 2001, e o Código de Direito Canônico, aprovado em 1983. A primeira parte do guia, dedicada aos procedimentos preliminares, indica que “se deveria seguir sempre” a “lei civil relativa às denúncias destes delitos às autoridades apropriadas”.

Fonte: O Globo online