Documentos divulgados pelo WikiLeaks mostra que o Vaticano não quis ajudar na investigação sobre abusos sexuais na Irlanda.

O Vaticano negou-se a cooperar em uma investigação irlandesa sobre abusos sexuais contra crianças por parte de sacerdotes de Dublin, porque o requerimento não foi feito pelos canais oficiais, segundo um documento diplomático americano divulgado neste sábado pelo WikiLeaks.

Quando a comissão Murphy solicitou informações em 2009, “o Vaticano se ofendeu muito… porque viu isso como uma afronta à soberania” pontifícia, segundo um documento da embaixada dos Estados Unidos em Roma divulgado pelo site.

As descobertas da comissão Murphy, publicadas em novembro de 2009, causaram sensação na Irlanda e na comunidade católica mundial, ao detalhar como as autoridades da Igreja de Dublin acobertaram sacerdotes pedófilos por três décadas.

Datado de 26 de fevereiro deste ano, o documento dos Estados Unidos — publicado pelo jornal The Guardian — registra as observações da diplomata americana em Roma, Julieta Noyes.

[b]Fonte: Zero Hora
[/b]