[img align=left width=300]http://www.folhagospel.com/imagem/cantoresgospel_big.jpg[/img]

O mercado fonográfico em geral pode estar em baixa. O de vendas de CDs de artistas evangélicos, no entanto, está em crescimento, se expandindo para antigos e novos cantores em meio à crise econômica. De acordo com dados da Associação Brasileira de Produtores de Disco (ABPD), a música gospel, de diferentes correntes religiosas, transpôs de vez os altares das igrejas e mantém crescimento em torno de 15 % ao ano, o equivalente a 30% da arrecadação da indústria de mídias. Já está entre os 20 estilos mais vendidos no Brasil atualmente, superando, inclusive, muitos artistas da Música Popular Brasileira.

Segundo especialistas, consultores e gravadoras, estima-se que o segmento movimente cerca de R$ 1,5 bilhão por ano, só entre gravadoras, editoras, tecnologias e serviços referentes à produção de CDs. É um total de 10% de todos os itens religiosos, incluindo bíblias, livros e lembrancinhas, comercializados para fiéis das igrejas pentecostais e neopentecostais. O sucesso é tanto que pelo menos dez novos CDs do segmento são lançados todo mês no País.

Em 2014, a gravadora MK Music, que reúne o maior e principal grupo das 28 indicações ao Grammy Latino da Música Gospel, instituído há pouco mais de dez anos, vendeu pelo menos dois milhões de CDs e DVDs. Este ano lançou o CD ‘Da Eternidade’, da cantora Fernanda Brum, e DVD ‘Tim-Tim por Tim-Tim’, trabalho especialmente para o público infantil da cantora Aline Barros. A empresa também programou para este mês, o lançamento do disco ‘Extraordinária Graça’, de Aline Barros; e o CD ‘Eternamente’, que marca o retorno de Cassiane para gravadora. “É satisfatório ver que a cada ano a música gospel rompe barreiras e avança, com qualidade sonora e bom conteúdo. E temos potencial para ir mais longe”, prevê Yvelise de Oliveira, presidente da MK Music.

[b]PLATAFORMAS DIGITAIS
[/b]
Mas de onde vem esse milagre, já que em geral o mercado fonográfico brasileiro amargou em torno de 7% de queda nos últimos cinco anos? Analistas citam dois fatores primordiais, além do crescimento da divulgação em plataformas digitais: o Brasil já é o segundo país com maior número de evangélicos no mundo.

Segundo estatísticas, se continuar nesse ritmo a igreja evangélica no País alcançará metade da população no ano 2045. O outro motivo preponderante é a mudança radical de ritmos, que passaram dos antigos formatos estridentes, repetitivos, tipo campanha de político, para mais populares. Estilos como rock, sertanejo, forró, pop e suas variações, começaram a ter espaço garantido nas rádios, TVs e shows, sem preconceitos. Os chamados cantores-pregadores, como Aline Barros, Anderson Freire, Regis Danese, Cassiane, Fernanda Brum, Cassiane, Oficina G3 e Bruna Karla, por exemplo, não saem mais das paradas de sucesso.

“Infelizmente, hoje temos vivido tempos em que as notícias são de violência, morte ou destruição. Onde o som de um louvor chega, leva a paz de Deus, o amor Dele, a beleza do evangelho de Jesus. O povo cristão tem recebido mensagens de otimismo e esperança através das canções”, define Aline Barros. “Onde há crise para nosso rebanho que nos ouve, há Cristo. Nossas músicas tentam traduzir isso”, resume Cassiane.

[b]Departamento só para música gospel
[/b]
Além dos tradicionais CDs, os artistas gospel que cada vez mais freqüentemente estão entre os tops dos hits mais tocados, têm aumentado fama e fortuna através de plataformas digitais. A tendência foi temas do debate Mídias Sociais e Música Digital, na Festa Nacional da Música 2015, em Canela (RS) em outubro. Maurício Soares, diretor-executivo da Sony Music, revelou que 72% do faturamento da empresa vem do meio digital, responsável por 68% da divulgação da música gospel nos últimos cinco anos. Tanto que a gravadora, após uma década de estudos, decidiu criar um departamento dedicado à música evangélica.
Soares justifica a decisão: “Se há alguns anos tínhamos três mil pontos de venda de discos no Brasil, hoje trabalhamos com mais de 280 milhões de celulares, pelo menos 60 plataformas digitais, e um imenso campo de oportunidades e novas tecnologias”, opinou.

[b]Por mês, uma média de dez lançamentos
[/b]
Motivos para atrair consumidores não faltam. Afinal, hoje há aproximadamente 4,5 mil cantores e bandas gospel brasileiras no mercado. São pelo menos dez lançamentos todo mês, conforme a ABPD. “Só nessa loja (Coisas de Crente, no subsolo da Central do Brasil), vendemos mais de mil CDs por mês, ou mais de 30 todos os dias”, garante o gerente Franklin Joans, de 28 anos.

Entusiasmado de tanto lidar com a fama dos outros, Joans, da Igreja Plena Paz, de Santa Cruz, também trabalha para lançar o seu álbum, que deverá ser batizado de ‘Onde está o amor?’. “Tenho 50 músicas compostas para passar a mensagem do Evangelho”, comenta.

Ele ressalta que o fato de os CDs evangélicos serem menos suscetíveis à pirataria, e o preço, em média R$ 20 cada álbum — metade dos outros —, influenciam. “Não compro falsificado. É pecado”, explica Míriam Lúcia da Silva, 40, da Igreja Assembléia de Deus de Figueira, em Duque de Caxias. “Quando a grana está curta, vou nas promoções”, diz Luzenir dos Santos, 36, do Templo Poço de Jacó, de Itaboraí.

[b]Aposta no gênero musical em todas as mídias
[/b]
Outros debatedores do evento, como Cláudia Fonte, da Som Livre; Alomara Andrade, da MK Music; Jeferson Baick, do site Garagem Gospel; e Felipe Kannenberg, do Grupo Dial de Comunicação, concordaram com o crescimento extraordinário do mercado digital, mas apostam ainda na propagação do gênero gospel por meio de outras mídias, como os CDs.

“Temos públicos diferenciados”, ressalta Cláudia. Alomara diz que o faturamento da gravadora é de 70% com produtos físicos (CDs) e 30%, com o universo digital. A representante da MK adiantou que a empresa está ingressando no streameng (transmissão de conteúdo on-line) e tem mantido boas parcerias com o setor de vídeos. Mas muitos fiéis preferem os CDs. É o caso do comerciante Miguel do Nascimento, 56, que não perde um lançamento. Perdeu a conta dos CDs gospel que tem. “No final do dia, Deus fala conosco pelos cânticos, hinos, nos confortando e dando forças.”

[b]CONHEÇA ALGUNS DESTAQUES DA MÚSICA GOSPEL DA ATUALIDADE
[/b]
[img align=right width=300]http://ejesa.statig.com.br/bancodeimagens/e5/b1/mj/e5b1mj5blfhvr29ge8dmsl9ms.jpg[/img]* Aline Barros: Carioca, casada com o ex-zagueiro Gilmar Santos, mãe de Nicolas, 12, e Maria Catherine, 3,tem mais de 20 anos de carreira solo, e é uma das cantoras mais populares do Brasil. Ganhadora de seis prêmios Grammy Latino, só nos últimos 10 anos conquistou 44 discos de platina, diamante, e de ouro.

* Anderson Freire: De Cachueiro de Itapemirim (ES), em apenas 5 anos de carreira solo como cantor, se tornou um dos principais nomes do momento. Compositor de artistas como Aline Barros, Cassiane e Bruna Karla, já conquistou 12 prêmios nacionais e duas indicações ao Grammy Latino. É com Raquel Freire e pai de Gustavo, 6

* Bruna Karla: gravou seu primeiro álbum aos 11 anos. Hoje, aos 26, comemora 15 anos de carreira e o posto de uma das cantoras mais queridas do país. Tem duas indicações ao Grammy Latino, e canções que ultrapassaram fronteiras do gospel, como “Sou Humano” e “Que Bom Você Chegou”. Natural do Rio de Janeiro, tem 21 prêmios e é casada com o produtor musical Bruno Santos, e mãe de Benjamin, 2.

* Cassiane: prestes a comemorar 35 anos de uma imponente e ativa carreira, Cassiane foi a primeira cantora gospel no Brasil a receber Disco de Diamante (Com Muito Louvor, por mais de um milhão de cópias vendidas). Com 20 trabalhos inéditos lançados, dezenas de coletâneas, oito DVDs e álbuns em dueto com o marido Jairinho, já conquistou mais de 20 Discos de Ouro, e vários álbuns de platina duplos. O lançamento do CD `Eternamente´ é um dos mais aguardados para este mês. Carioca, é mãe de Jayanne, 16, Caio, 14, e Joshua, 12.

* Fernanda Brum: umas das mais criativas e inventivas de sua geração. São 20 anos de carreira, 11 álbuns inéditos lançados, além de várias coletâneas e seis DVDs. Recebeu 40 prêmios nacionais. Carioca também, é casada com o produtor musical Emerson Pinheiro, e mãe de Isaac, 12, e Laura, 5.

* Kleber Lucas: intérprete e compositor, com amplo conhecimento musical e sonoridade sempre contemporânea. Em mais de 15 anos de carreira, lançou 11 álbuns, três DVDs e ganhou o Grammy Latino 2013, com o CD `Profeta da Esperança´. Conquistou 13 discos de platina e ouro.

* Oficina G3: principal banda de rock gospel do país. São quase 30 anos de estrada, reconhecimento não apenas do público, mas do mercado também. Foi a única banda cristã a tocar no Rock in Rio III. Juninho Afran, fundador, é apontado como um dos maiores guitarristas do País. Tem oito prêmios nacionais.

* Régis Danese: seu grande sucesso “Faz Um Milagre em Mim” rompeu todas as barreiras. Executadas não apenas em rádios segmentadas, ainda hoje é cantada em todo Brasil e exterior, independente de religião. Regis está freqüentemente em programas de TV. Ganhou o Prêmio de Música Digital, com o single religioso mais vendido. Pela MK Music, lançou seus três álbuns mais recentes. Mineiro de Uberlândia, fez parte do Só Pra Contrariar. É casado com Kelly, e pai de Bruno, 16, e Brenda, 7.

[b]Fonte: O Dia[/b]