Um vereador de Santa Bárbara d’Oeste, interior de São Paulo, resolveu criar um projeto de lei para livrar os moradores do município da marca da besta.

Carlos Fontes (PSD) quer impedir por lei que os munícipes recebam um chip rastreador que será, segundo ele, implantado pela nova ordem mundial.
“Tendo em conta que o fim dos tempos se aproxima, é preciso que as leis se antecipem aos futuros acontecimentos”, justifica.

“Sendo assim, urge que se proíba a implantação em seres humanos de chips ou quaisquer outros dispositivos móveis que permitam o rastreamento dos cidadãos”, diz o texto do projeto.

Fontes alega que a ONU tem trabalhado na ideia de implantar chips em humanos com o objetivo de controlar todas as atividades das pessoas, de viagem a compras e etc. Para ele esses chips representam a marca da besta descrita no Apocalipse e quem não aceitá-la não será inserido na sociedade.

“A Bíblia Sagrada, no livro de Apocalipse, diz que todas as pessoas deverão ter marcas na mão ou na testa para se inserir na sociedade, seria a marca da besta. Eu não quero ir contra a palavra de Deus, mas quero alertar a população sobre essa imposição”, afirmou o vereador ao G1.

O polêmico projeto, porém, deixa claro que a proibição da implantação dos chips defende o livre arbítrio das pessoas decidirem o que querem. “O projeto pede a proibição, mas as pessoas têm direito de escolha”, encerra ele.

[b]Fonte: Gospel Prime[/b]