A vereadora Carla Pimentel (PSC) de Curitiba propôs que o plenário da Câmara Municipal conceda o título de cidadão honorário ao pastor Silas Malafaia, polêmico líder da Igreja Assembleia de Deus.

O título seria dado ao líder religioso por causa de importantes ações que seriam promovidas pela igreja liderada pelo pastor na capital paranaense, segundo a vereadora.

A honraria é concedida a pessoas que não nasceram em uma cidade ou estado, mas que os parlamentares reconheçam a importância daquela pessoa para a história ou desenvolvimento do local. O líder religioso, contudo, é conhecido por suas críticas e por polêmicas envolvendo a opinião dele sobre união civil homossexual e outras religiões.

Carla, que é evangélica, disse que o pastor representa um grande número de protestantes e tem várias ações para a melhoria de vida da população em Curitiba. “Tem ações voltadas para resgate social, que tira muitos jovens do mundo das drogas, ações que causam um bem especial”, explica a parlamentar.

Carla argumenta, mesmo sendo evangélica, que o que mais importa para sua sugestão de escolha do pastor como detentor de um título de cidadão honorário é a relevância dos trabalhos sociais. “Nós não renegamos quem somos, nós falamos daquilo que conhecemos. Sou evangélica, mas sou contra qualquer tipo de discriminação. Eu fui eleita para ser vereadora não dos evangélicos, mas de Curitiba, atendendo a cidade”, diz.

A concessão de cidadania honorária, seja ao pastor Malafaia ou qualquer outra pessoa, tramita na Câmara como qualquer outro projeto de lei. O parlamentar escolhe quem é a pessoa que deve ter o título e protocola o pedido na Casa. A proposta passa por duas comissões – de educação e de legislação – e depois, em plenário, é votada pelos vereadores. Caso aprovado, é marcada uma data para que o pastor receba o título.

Cada vereador tem direito, a cada legislatura, a oferecer quatro títulos de cidadão honorário – para quem não nasceu em Curitiba – ou vulto emérito – para quem é curitibano. O numero de quatro títulos refere-se ao total de honrarias, seja de cidadania ou vulto.

[b]Fonte: Bonde[/b]