Uma viagem do papa Bento 16 para a Terra Santa poderia ajudar a superar o “preconceito e a incompreensão” que marcam a relação entre católicos e judeus, disse uma autoridade de alto escalão do Vaticano.

O Vaticano está explorando a possibilidade do papa fazer sua primeira viagem para Israel e para os territórios palestinos desde sua eleição em 2005. O Vaticano disse ainda que a visita é possível, apesar da recente onde de violência em Gaza.

O cardeal Walter Kasper, responsável pelas releções com osjudeus, reconhece que “problemas não faltam” nas relações entre católicos e judeus.

Ele também pontuou o recente desentendimento sobre o Papa Pio 12, o qual alguns judeus o acusam de fazer vistas grossas para o Holocausto.

“Eu estou convencido de que a viagem do papa para a Terra Santa será decisiva para superar o preconceito e a imcompreensão que marcam nossas relações com o judaísmo”, disse Kasper ao jornal L’Osservartore Romano.

A Igreja diz que Pio trabalhou em silêncio nos bastidores para ajudar judeus durante o Holocausto.

“O mundo judeu já entendeu e aceitou que a beatificação de Pio é um processo interno da Igreja Católica”, disse Kasper.

Muitos grupos judeus pediram para o papa Bento 16 congelar o processo que pode elevar Pio a santo até que mais arquivos do Vaticano dos tempos de guerra sejam abertos.

“Nós confiamos agora que a pesquisa histórica irá esclarecer ainda mais sobre o trabalho de Pio 12 em ajudar os judeus durante o período em questão”, afirmou Kasper.

Fonte: Reuters