Cerca de 3 milhões de dólares foram usados para financiar a visita do papa Bento XVI em 2010.

A Grã-Bretanha utilizou 1,85 milhão de libras (3 milhões de dólares, 2,2 milhões de euros) do orçamento do ministério responsável pela ajuda ao desenvolvimento para financiar a visita do papa Bento XVI em 2010, segundo um relatório parlamentar publicado nesta quinta-feira.

Uma comissão parlamentar detectou este financiamento “um tanto surpreendente” ao auditar as contas do Ministério do Desenvolvimento Internacional (DfID).

Um porta-voz do ministério defendeu, no entanto, esta contribuição, alegando que reconhecia “o papel da Igreja católica como uma das maiores fontes de serviços sanitários e educativos nos países em desenvolvimento”.

A soma representa quase um quinto das 10 milhões de libras que os contribuintes pagaram pela histórica visita de Estado de quatro dias em setembro passado. A Igreja católica cobriu o resto.

“Muita gente estará tão surpresa como nós ao descobrir que o dinheiro britânico destinado à ajuda foi empregado para financiar a visita do Papa no ano passado”, disse o deputado Malcolm Bruce, que preside a comissão de ajuda internacional.

O governo “deve explicar exatamente em que foi gasta esta quantidade e como se enquadra com nossos compromissos de ajuda internacional”, acrescentou.

O montante destinado à ajuda ao desenvolvimento internacional foi uma das poucas coisas que escapou do drástico programa de austeridade anunciado em outubro pelo governo britânico.

“Este dinheiro não constitui oficialmente ajuda ao desenvolvimento”, alegou o porta-voz do DfID.

[b]Fonte: Terra[/b]