Uma vidente foi condenada na Justiça do Japão a pagar o equivalente a R$ 2,8 milhões por ter causado danos a uma mulher. Segundo o Tribunal Distrital de Tóquio, a adivinha controlava a mente da vítima e a forçou a trabalhar como prostituta.

[img align=left width=300]https://conteudo.imguol.com.br/c/noticias/a4/2017/01/24/24jan2017—imagem-ilustrativa—vidente-1485265289853_615x300.jpg[/img]Para o juiz Sotaro Tomuro, a vidente conseguiu instaurar um medo tão grande na vítima que a fazia acreditar que carregava uma grande dívida. Por isso, a mulher entregava quantidades significativas de dinheiro à adivinha.

“Governada pela ré, a mulher entrou em um estado em que sua personalidade estava essencialmente perdida”, disse o magistrado.

Tudo começou quando a vítima procurou a vidente após seu divórcio, em 2008. Três anos depois, ela se mudou para a casa da adivinha, em Tóquio, e começou a trabalhar como prostituta. Ela contou à Justiça que, todo o dinheiro ganho no bordel foi entregue à vidente e que, muitas vezes, vivia com pouco menos de R$ 5.

A adivinha também inventava problemas no apartamento para cobrar da vítima. A situação durou até 2013.

[b]Fonte: UOL[/b]