O Vietnã poderá receber muito em breve a visita do papa Bento XVI, caso finalmente seja possível restabelecer seus laços diplomáticos com o Vaticano, rompidos desde os anos 70, anunciou esta semana um alto funcionário da Santa Sé.

“É meu desejo, embora ainda dependa de muitas coisas”, declarou à imprensa o subsecretário de Assuntos Exteriores do Vaticano, monsenhor Pietro Parolin, que se reuniu pela terceira vez em Hanói com o vice-chanceler vietnamita, Nguyen Quoc Cuong.

As duas partes disseram terem firmado uma “boa base” para retomar as relações, embora ainda não se tenha fixado um calendário específico.

Parolin chegou na segunda-feira ao país e deve visitar duas dioceses na região norte antes de retornar, no domingo, a Roma.

Com oito milhões de fiéis, o Vietnã tem a segunda maior população de católicos da Ásia, atrás apenas das Filipinas, e a maioria se encontra no sul, que foi derrotado em 1975 pela guerrilha comunista apesar do apoio dos EUA.

Nesse mesmo ano, o novo regime vietnamita suspendeu as relações diplomáticas com o Vaticano.

Fonte: EFE