Ao saudar o papa Bento XVI no encontro de representantes das três religiões monoteístas no Mosteiro de São Bento, em São Paulo, o moderador do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), pastor Walter Altmann, expressou votos de que os laços de cooperação entre Genebra e o Vaticano se estreitem cada vez mais.

Todos os líderes de igrejas cristãs, das comunidades judaica e islâmica presentes no encontro com o papa, na quinta-feira, 10, tiveram a oportunidade de dirigir-lhe uma palavra pessoal. Como presidente da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), Altmann manifestou satisfação pelas relações católico-luteranas, que completam 50 anos no Brasil.

Na avaliação do moderador do CMI, o ecumenismo teve espaço limitado na agenda e nos pronunciamentos na visita de Bento XVI no Brasil. O encontro com o papa deve ser visto, no entanto, “como de forte caráter simbólico, pela reafirmação do compromisso ecumênico de nossas igrejas e das causas comuns entre as religiões, bem como pela visibilidade que o encontro deu a esse compromisso”, assinalou o pastor presidente da IECLB.

Perseverar no compromisso ecumênico corresponde ao dom e mandato de Jesus Cristo “para que todos sejam um”. Segundo Altmann, mesmo em tempos em que também há sinais de algum recesso nas relações ecumênicas, “não devemos esmorecer, mas, ao contrário, solidificá-las e buscar ainda novas avenidas de cooperação”.

O moderador do CMI assistiu, como observador convidado, a abertura e os dois primeiros dias de trabalhos da V Conferência Episcopal Latino-Americana e Caribenha (CELAM), reunida em Aparecida do Norte, São Paulo, de 13 a 31 de maio.

Participaram do encontro com o papa, na quinta-feira, dom Oneris Marchiori e padre Marcial Maçaneiro, da Igreja Católica Apostólica; o presidente do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC), pastor Carlos Möller; o metropolita Tarassios, da Igreja Ortodoxa Grega; o arcebispo Damaskinos Mansour, da Igreja Ortodoxa Antioquina; o arcebispo Datez Karibian, da Igreja Armênia Apostólica; o primaz Maurício Andrade, da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil; o reverendo Manuel de Souza Miranda, da Igreja Presbiteriana Unida; Antonio Bonzoi, da Igreja Cristã Reformada; o rabino Henry Sobel, da Comunidade Judaica; e o sheik Armando Hussein Saleh, da Comunidade Islâmica.

Fonte: ALC