[img align=left width=300]http://media.npr.org/assets/img/2014/12/16/ap155304283791_wide-9d60b2e956a98a832a493aa3f33e4e71aedb14a5.jpg[/img]

Na cerimónia de abertura da Mesquita Central de Moscou, o presidente russo Vladimir Putin afirmou que o Estado Islâmico compromete o Islã e professa uma religião falsa.

Os terroristas do Estado Islâmico comprometem o Islã. A sua ideologia parte de ideias falsas, disse nesta quarta-feira o presidente russo Vladimir Putin durante a cerimónia de abertura da renovada Mesquita Central de Moscou, à qual assistiram o presidente turco Recep Tayyip Erdogan e o líder palestiniano Mahmoud Abbas.

– Há tentativas de explorar de forma cínica os sentimentos religiosos para promover objetivos políticos. Estamos vendo o que se desenrola no Oriente Médio, onde os terroristas do chamado Estado Islâmico espalham o ódio, matam pessoas incluindo sacerdotes, destroem de forma bárbara monumentos da cultura mundial, comprometendo uma grande religião mundial, comprometendo o Islã – declarou.

Tendo em conta a propagação da ideologia radical dos terroristas, o presidente russo também destacou que a Rússia apoiará a restauração de uma escola teológica islâmica no país porque é muito importante que os jovens muçulmanos sejam formados de acordo com os valores islâmicos tradicionais e que ideologias alheias que não tem algo a ver com o autêntico Islã sejam coibidas.

– Queria sublinhar que o governo dará apoio à restauração de uma escola teológica islâmica russa e ao próprio sistema de educação religiosa. Como sabemos, já apoiou a proposta das autoridades da república do Tatarestão e das principais autoridades muçulmanas de criar a Academia Islâmica Búlgara – frisou o presidente.

Putin afirmou que o Islã tradicional é uma parte inalienável da vida espiritual da Rússia. “Os seus valores humanos, bem como os valores das outras religiões tradicionais da Rússia, educam nas pessoas a caridade, a justiça e o cuidado pelos familiares”, acrescentou.

O presidente turco Recep Tayyip Erdogan, que assistiu à cerimónia, disse que espera que a abertura da renovada Mesquita Central de Moscou contribua para a restauração da paz e do entendimento mútuo no planeta, porque é o que precisamos mais.

Abordando a questão do problema dos refugiados, o presidente turco afirmou que o que acontece à beira do mar Mediterrâneo fica na consciência de toda a Humanidade, que deve sentir vergonha.

– A resolução do problema dos refugiados não consiste em fechar fronteiras ou deixá-los morrer no mar alto. A única resolução do problema consiste em fazer com que nos seus países não haja perigo para a vida destas pessoas – frisou Erdogan.

Segundo o especialista Suleyman Sensoy, presidente do Centro Turco-Asiático de Estudos Estratégicos, entrevistado pela Sputnik, a Rússia e a Turquia podem e devem, sem dúvida, cooperar na resolução da crise síria com base na ideia de assegurar a estabilidade e a integridade territorial da Síria. Sem a participação da Rússia, não é possível resolver esta crise.

[b]Fonte: Correio do Brasil[/b]