O mais alto órgão legislativo da Federação Luterana Mundial (LWF) encerrou a sua reunião de oito dias, terça-feira, com uma “mensagem” para a Igreja de 145 corpos em 79 países que compõem a comunhão luterana global.

Com base no tema da 11º Assembléia da LWF, “Dá-nos hoje Nosso Pão de Cada Dia,” a petição lembra aos Cristãos que eles deveriam dar graças a Deus, dar a mensagem do Evangelho aos outros, dar os seus conhecimentos e bens materiais aos necessitados, e cuidar com o meio ambiente para que as gerações futuras “possam gozar dos frutos da criação e levar uma vida saudável.”

“Verdadeira humanidade,” afirma a mensagem, é encontrada em dar e receber.

E as questões de “hoje” incluem a preocupação pelo abastecimento mundial de alimentos, mudanças climáticas globais, a situação dos povos indígenas, e os efeitos do HIV / AIDS, afirma a mensagem da LWF.

“A mensagem desta Assembléia, que cresceu a partir da petição,” Dá-nos hoje Nosso Pão de Cada Dia, é que não estamos pedindo somente pão,” explicou o presidente cessante da LWF, bispo Mark S. Hanson, terça-feira, na conferência de imprensa de encerramento da 11º Assembléia.

“Estamos orando por tudo o que as pessoas precisam para sustentar a vida a cada dia,” disse Hanson.

Desde terça-feira passada, o órgão supremo da LWF, na tomada de decisões, que normalmente reúne a cada seis anos, reuniram-se com a idéia da redução da fome como seu foco. Como se discutiu mais, os delegados começaram a falar de “pão” em termos de alimentos, meio ambiente, da dívida ilegítima, da mudança climática e da justiça de gênero.

Hanson, que terminou o seu mandato como Presidente da LWF no encerramento da 11º Assembléia, resumiu a conclusão da assembléia, dizendo: “Para ter tudo o que coletivamente necessita não significa apenas alimentos tendo em nossos estômagos, mas também que haverá justiça para todos os povos e a sustentabilidade do nosso ambiente.”

Antes da conclusão da sua reunião, a 11º Assembléia aprovou uma série de resoluções relacionadas, incluindo aqueles que denunciam tráfico de seres humanos, comprometendo membros da LWF para o direito de comer das pessoas, solicitando a inclusão de grupos socialmente desfavorecidos, comprometendo membros da LWF para ações para proteger o mundo, e pedindo a redução global das despesas militares, entre outros.

A Assembléia também aprovou 11 resoluções que detalham os “princípios de representação inclusiva” e exortando as Igrejas-membro a fazerem novos compromissos para “execução prática, eficaz e verdadeira” das políticas da LWF e decidirem sobre a plena participação das mulheres na vida da Igreja – e da comunhão da LWF – assim como na sociedade.

“Prevemos um tempo em que não precisaremos mais falar sobre estas questões a cada dia,” afirma o conjunto de mensagens.

Com mais de 70 milhões de membros, a LWF é a maior comunhão das Igrejas Luteranas do mundo, abrangendo cerca de 79 países.

Participantes da Assembléia, na semana passada, teriam incluido 418 delegados de 138 Igrejas-membro da LWF completa ao redor do mundo. Outros participantes são representantes das Igrejas-membro associadas, observadores de congregações reconhecidas e assembléias, conselheiros das comissões nacionais da LWF e entidades relacionadas, intérpretes e tradutores, e hóspedes e visitantes ecumênicos, entre outros.

[b]Fonte: Christian Post[/b]