Ainda nesta manhã, os advogados do pastor da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) Fernando Aparecido da Silva, que nega envolvimento no homicídio do adolescente Lucas Terra, vão impetrar um pedido de habeas-corpus no Tribunal de Justiça do estado da Bahia, garantiu Edson Luiz Silvestrin, um dos defensores do réu.

Ainda segundo ele, o pastor Fernando permanece custodiado no xadrez do Departamento de Polícia Interestadual (Polinter), situado no prédio-sede da Polícia Civil, na Piedade.

Em interrogatório de três horas, prestado anteontem, Fernando chamou de “mentiroso” o ex-pastor Sílvio Roberto Galiza – já condenado pelo crime –, que o acusa de ter participado do assassinato brutal, ocorrido em 21 de março de 2001, em que o jovem foi violentado, estrangulado e depois queimado vivo. Para o promotor Davi Gallo Barouh, há contradições na versão apresentada pelo pastor durante o interrogatório no Fórum Ruy Barbosa, feito pelo juiz Vilebaldo Freitas, titular da 2ª Vara do Júri.

Fernando foi preso no último sábado, em Jaboatão dos Guararapes (PE), em cumprimento de um mandado de prisão preventiva expedida pela Comarca de Salvador. Ainda se encontra foragido o pastor Joel Miranda, igualmente acusado de participação na morte de Lucas Terra. Informações não confirmadas dão conta de que ele está no Rio de Janeiro.

Fonte: Aqui Salvador