Reunida em Quito, dias 14 e 15 de novembro, a Assembléia da Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC) definiu o plano estratégico do organismo para o triênio 2007-2009, aprovou orçamento para o mesmo período, elegeu diretoria e admitiu novo sócio contribuinte.

A ALC tem por objetivo colocar à disposição de igrejas e organismos ecumênicos recursos de informação e análise para o desenvolvimento da missão, alcançando, com sua rede de distribuição noticiosa, meios de comunicação religiosos, seculares, e organismos educacionais da sociedade civil.

A sua linha prioritária de cobertura volta-se a temas relacionados aos direitos à comunicação, cultura de paz, meio ambiente, às metas do milênio firmadas pela Organização das Nações Unidas, migração, fé, economia e sociedade, segundo os eixos principais de “Igreja e sociedade” e “Desenvolvimento e direitos humanos”.

O pastor e comunicador brasileiro Nilton Giese, diretor do Departamento de Comunicação do Conselho Latino-Americano de Igrejas (CLAI), foi eleito presidente da ALC para um mandato de dois anos. Ele substitui o pastor João Arthur Mueller da Silva, que esteve na presidência da ALC por quatro anos.

A diretoria da agência é composta ainda pelo vice-presidente, pastor Roberto Jordan, presidente da Igreja Reformada Argentina; pelo secretário, pastor Daniel Favaro, da Igreja Metodista Argentina; pela tesoureira, contadora equatoriana Betty Herrera.

Foram eleitos, como vogais, os pastores Clóvis Lindner, do Brasil, representante de Luteranos Unidos em Comunicação (LUC), e Germán Zijlstra, da Argentina, pela Aliança de Igrejas Presbiterianas e Reformadas da América Latina (AIPRAL).

A Assembléia acatou o pedido do Centro Regional Ecumênico de Assessoria e Serviços (CREAS), da Argentina, de se incorporar ao grupo de consorciados mantenedores da ALC, constituído ainda pelo CLAI, LUC, AIPRAL, Associação Mundial para a Comunicação Cristã (WACC, a sigla em inglês) e Conselho de Igrejas Evangélicas Metodistas da América Latina e Caribe (CIEMAL).

Giese manifestou gratidão a Deus pelos 11 anos de trabalho e serviço da ALC e demonstrou satisfação pelo desenrolar da Assembléia. A ALC consolida-se “como a única agência latino-americana que, sendo parte do movimento ecumênico em processo de reconfiguração, traz seu aporte estratégico com informação, análise e reflexão”, disse.

Fonte: ALC