Berlim está em estado de choque e em luto pelo atentado da noite de ontem na cidade, quando um caminhão se lançou contra uma multidão em uma feira de Natal. Hoje, uma série de cerimônias religiosas estão previstas.

[img align=left width=300]http://media02.radiovaticana.va/photo/2016/12/20/REUTERS1887083_Articolo.JPG[/img]Está programado a abertura de um livro-registro das condolências na Gedächtniskirche, a “igreja memorial” evangélica na Praça Breitscheid, onde se encontra a feira natalina.

“Esta igreja é o símbolo da agressão à humanidade”, disse à ZDF o bispo Markus Droege, da “igreja memorial”. A Praça Breitscheid é um ponto de encontro tradicional dos berlinenses. No seu centro, fica a ruína da igreja da recordação, construída no final do século XIX pelo então imperador Wilhelm III em memória do seu avô. O templo se tornaria, pouco mais de meio século depois, o principal memorial da Segunda Guerra Mundial. As ruínas da igreja foram preservadas intencionalmente como um símbolo da ferida deixada para sempre pela guerra.

O Presidente da Igreja Evangélica na Alemanha (Ekd), o bispo bávaro Heinrich Bedford-Strohm, “como muitas pessoas na Alemanha e no mundo, se uniu em oração pelas vítimas do terrível ato de violência”, como escreve. “Estamos todos chocados por esta violência brutal e sem sentido. Assim, muitas pessoas inocentes morreram; posso imaginar a profundidade da dor das famílias das vítimas”.

Na igreja-memorial, às 18h, será celebrado um serviço fúnebre em memória dos mortos e para reafirmar o valor da humanidade. A Igreja Evangélica na Alemanha (Ekd) reúne as diferentes confissões protestantes no país.

Pelo menos 12 pessoas morreram e 20 ficaram feridas no atentado, que até o momento não foi reivindicado.

[b]Fonte: Rádio Vaticano
[/b]