Durante esse período eles ficam em salas isoladas esperando o tempo certo para iniciar os testes.

A prova do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) vai acontecer no dia 26 de outubro, sábado, às 13h, o que para muitos religiosos seria um problema. Mas a coordenação do MEC permite que alunos sabatistas realizem o exame depois das 19h, desde que estejam nos locais da prova ao 12h, assim como os demais alunos.

Durante sete horas esses alunos ficam juntos em uma sala separada sem ter qualquer tipo de contato com o que acontece do lado de fora. A medida tenta impedir que esses alunos tenham contato com quem já realizou a prova.

Para o ENEM 2013 foram inscritos 90.273 sabatistas, membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia e judeus que por questões religiosas precisam guardar o sábado. A estudante de direito Linda Leah Shayo, 17 anos, judia, participou da edição do ENEM do ano passado e precisou esperar até as 19h50 para começar a prova, pois para os judeus o sábado só se encerra quando as três estrelas aparecem no céu.

Para chegar até a escola onde realizou os testes, Linda precisou quebrar algumas regras da sua crença, já que no shabat o judeu não pode fazer nem os pequenos esforços como ligar a TV, a luz, o carro, o computador, escrever ou carregar coisas nas mãos.

“Tudo isso me incomodou, foi contra a minha vontade. Não achei justa a forma como o Enem impôs a prova aos judeus religiosos”, diz a jovem que queria uma prova realizada em outro dia da semana, não só para os sabatistas, mas para todos os alunos.

Já o aluno adventista Kevin Cornetti Oliveira as normas do ENEM são justas. “Se tivéssemos que chegar só às 19h ao local de prova, seria errado com os outros candidatos”, diz. Kevin também ficou sete horas esperando para realizar a prova em 2012, durante este período ele tocou violão e cantou músicas religiosas com os demais adventistas que estavam na sala.

[b]Fonte: Gospel Prime[/b]