Detido no estado do Colorado por porte de maconha nesta quarta-feira, 27,o norte-americano Trevor Douglas afirmou que a droga é o principal sacramento de sua religião e que a acusação viola seus direitos constitucionais.

Douglas, de 25 anos, alega fazer parte do Ministério THC, religião que, segundo ele, considera “o consumo da maconha sagrado como o vinho e o pão para os católicos”. “O tribunal está questionando minha fé”, reclamou.

Em seu site de internet, o Ministério THC afirma possuir sedes em Los Angeles, Montana e no Colorado, e defende que “o sacramento da cultivação e consumo da maconha é um direito do homem oferecido por Deus e protegido pela Primeira Emenda da Constituição dos Estados Unidos”.

A entidade religiosa, criada no Hawaii, afirma ainda em sua página de internet que oferece defesa a seus membros em casos de acusação como o de porte da droga. Segundo o Ministério THC, o sucesso na defesa religiosa depende da “sinceridade” do membro, que só deve consumir a maconha na sua casa ou na igreja e que não deve comercializá-la.

Douglas, que será julgado em março, mantém a alegação de que não é um viciado na droga. “Se isso (o consumo da maconha) faz parte da sua religião, você não pode ser acusado de posse”, defende-se.

Fonte: Estadão