Mais de 10 mil cristãos de diversas denominações se reuniram em um protesto de repúdio à campanha de ódio contra a comunidade cristã.

A mobilização contou com a presença de católicos, protestantes e líderes políticos depois que autoridades de Andhra Pradesh prenderam um padre e outros quatro estudantes de uma faculdade de odontologia alegando serem eles os responsáveis pela morte de um estudante de nível secundário.

A multidão que se juntou ao protesto que ocorreu na última segunda-feira, em Eluru, distrito de Godavari, Estado de Andhra Pradesh, foi liderada pelo monsenhor John Mulagada, bispo de Eluru, junto com bispo Mathew Cheriankunnel e o bispo anglicano John S.D. Raju. O prefeito Shri Kare Babu Rao também esteve lá.

Tudo começou na noite de 22 de junho quando B. Niranjan, um estudante de odontologia do primeiro ano da Faculdade de Odontologia, ligada à igreja de St Joseph, foi achado suspenso no teto do quarto dele.

Os estudantes e a equipe da escola disseram que o jovem tinha dificuldades nos estudos. Eles também testemunharam que o jovem havia sido rejeitado por uma garota.

A acusação

A família do jovem acusou o padre Anand, diretor-assistente da faculdade, e quatro outros estudantes de assassinarem o jovem porque ele vinha de uma comunidade tribal. A ação teria sido simulada para parecer suicídio.

Uma queixa foi registrada no tribunal local e na Comissão Estatal para Castas e Tribos. Na sexta-feira retrasada, o ministro de Andhra Pradesh para o Bem-Estar Tribal, Shri Redya Naik, disse para a família deixar a greve de fome e ordenou a apreensão dos “culpados.” Isso motivou o protesto.

Estudantes descreveram B. Niranjan como “irritável” e “solitário”. Eles contaram que no dia da morte dele ele estava muito agitado a ponto de ter lançado um objeto afiado contra um estudante.

Ação contra a Igreja

Ninguém da faculdade aceita a denúncia de que a instituição discrimina estudantes por causa da etnia ou de outros aspectos.

Todos “nós vivemos como uma família sem mostrar qualquer discriminação embora nós pertençamos a diferentes credos religiosos, grupos étnicos e diferentes partes do país”, disse o estudante, S. Suruti.

Falando ao Asia News, o arcebispo Joji ressaltou a “tentativa de desacreditar e intimidar a comunidade cristã explorando o incidente”.

“Os cristãos”, disse ele, “são uma população minoritária a serviço da maioria”.

Recentemente uma pesquisa da Conferência dos Bispos Católicos da Índia revelou uma maioria hindu em institutos cristãos: 53% de hindus; 22,7% de católicos e 8,6% de muçulmanos.

“Sempre foram dadas boas-vindas aos dalits e tribais porque a educação pode melhorar a situação deles”, disse o arcebispo.

O padre Anthoniraj Thumma, secretário-executivo da Federação de Igrejas de Andhra Pradesh, enfatizou que grupos interessados” estão usando o suicídio para desacreditar a administração da faculdade e a Igreja.”

Fonte: Portas Abertas