O arcebispo de Canterbury, Rowan Williams (foto), afirmou que o príncipe Charles da Inglaterra, que apóia a fé em geral, deveria passar a defender a fé anglicana quando assumir o trono britânico.

Em entrevista publicada hoje no jornal “The Daily Telegraph”, o primaz da Igreja Anglicana disse ainda que a coroação do príncipe de Gales deveria ser realizada em cerimônia cristã, em vez de um culto ecumênico.

Em 1994, o herdeiro da Coroa britânica disse em entrevista que pretende se tornar um monarca que defenda a fé em geral, em vez de apenas a anglicana.

No entanto, o arcebispo não é contra a modificação da função do rei – adotada por Henrique VIII (1491-1547) – como defensor do anglicanismo, tornando-se chefe da Igreja da Inglaterra ao ser coroado.

Nos últimos anos, a imprensa publicou que Charles quer que as várias religiões que convivem no Reino Unido participem de sua coroação, a fim de refletir a diversidade da atual sociedade britânica.

Em sua entrevista, o arcebispo de Canterbury também se referiu ao Reino Unido como uma sociedade dividida e se mostrou a favor de que o Governo e a igreja recuperem a integridade moral.

“Estamos em uma etapa de nossa cultura na qual a fragmentação da sociedade é mais óbvia. Não apenas famílias, mas as várias comunidades étnicas e os grupos econômicos. Falamos de excesso e igualdade todo o tempo, mas, na prática, todos parecemos viver de maneira muito segregada”, afirmou.

Fonte: EFE