“Somos irmãos, queremos ser nação” é o título do documento divulgado ao final da Assembléia Plenária da Conferencia Episcopal Argentina, realizada em Pilar, de 9 a 13 deste mês.

No texto, a Igreja Católica adverte para o aumento dos conflitos no país: “A violência verbal e física no trato político e no âmbito social, a falta de respeito às pessoas e instituições e a desqualificação de quem pensa diferente são atitudes que debilitam fortemente a paz e o tecido social”.

Os bispos recordam que a democracia “não se fortalece com conflitos nas ruas, mas na vigência das instituições republicanas”. E pediram respeito à Constituição, às leis e à autonomia dos poderes do Estado.

Sobre a situação social na Argentina, os prelados voltaram a classificar como “dramática” a pobreza: “A situação de pobreza é dramática para muitos nossos irmãos. Mesmo com a definição de alguns caminhos de ajuda e assistência para as necessidades mais urgentes, é necessário alcançar estruturas mais justas, que consolidem uma ordem social, política e econômica, com equidade e inclusão”.

Fonte: Rádio Vaticano