O titular da Delegacia Especial de Atendimento ao Turista (Deat), Fernano Veloso, afirmou na tarde desta segunda-feira que o pastor da Igreja Assembléia de Deus Isaías da Silva Andrade pode ser indiciado por crime de facilitação no caso envolvendo o suspeito de assaltar a família do turista italiano Girgio Morasse, 28 anos, na segunda-feira passada, na orla de Ipanema, na zona sul do Rio.

O posicionamento do delegado é baseado em um depoimento informal do religioso, que teria contado que Rodrigo Carvalho Cruz, 20 anos, estaria em sua casa desde a última quinta-feira.

“Ele vai ter que explicar muito bem essa história, justificando por que manteve um foragido escondido. O pastor alegou que o período de quinta-feira até hoje foi o tempo necessário para a libertação dos demônios”, afirmou Veloso. O delegado começou a ouvir, por volta de 15h, o suspeito e o pastor poderá prestar depoimento ainda hoje.

Segundo Veloso, Cruz pode pegar até 38 anos de cadeia pelos crimes de latrocínio, roubo seguido de morte, no caso do turista italiano, além de roubo e furto qualificado, pois foi reconhecido por um militar que teve um cordão levado por dois criminosos em 2005.

O suspeito se apresentou nesta manhã à Polinter, no centro do Rio. Ele foi acompanhado pelo pastor. Segundo a polícia, o estrangeiro morreu atropelado por um ônibus, na avenida Vieira Souto, depois de brigar com o suspeito. De acordo com as investigações, Cruz, que estava de bicicleta, havia roubado o cordão de ouro do pai do turista. O acidente aconteceu no dia 19 de novembro.

Fonte: Terra