O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, reiterou que é cristão “por escolha” e defendeu a tolerância religiosa

“Sou um cristão por escolha. Minha família não era das que ia à igreja toda semana. Minha mãe era uma das pessoas mais espirituais que conheci, mas não me criou em uma igreja, portanto encontrei minha fé cristã mais tarde em minha vida”, explicou Obama em resposta à pergunta de uma cidadã durante uma reunião com eleitores no Novo México.

A pergunta surgiu em uma reunião com eleitores realizada no pátio de um casa no estado do Novo México, organizada como parte de suas excursões políticas para as eleições legislativas de novembro.

Mais uma vez, Obama se aprofundou em sua história pessoal religiosa, à qual já havia se referido em seus livros, mas que, para os americanos, segue sem estar clara, como revelam pesquisas recentes.

Obama, quem em poucas ocasiões falou com tanto detalhe sobre sua fé religiosa, disse que decidiu assumir os preceitos de Jesus Cristo como “um tipo de vida que queria seguir” e reiterou que “reza todos os dias”.

O presidente defendeu a tolerância religiosa de seu país como uma parte fundamental de sua responsabilidade na Casa Branca.

“Como presidente dos Estados Unidos, sou alguém que também acredita profundamente que parte da fortaleza deste país se baseia em abranger pessoas de todas as religiões e sem fé”, expressou.

Apesar das confissões de Obama, uma recente pesquisa revelou que 43% dos americanos não sabia qual era a religião de seu presidente e 18% pensava que fosse muçulmano.

[b]Fonte: EFE
[/b]