O deputado estadual José Antonio Bruno (DEM), bispo da Renascer, foi convocado pela polícia para prestar depoimento no inquérito sobre o desabamento do teto da sede da igreja.

Em 2007, como vice-presidente da instituição, ele assinou uma declaração atestando que as condições de estabilidade e manutenção do imóvel continuavam as mesmas de quando o alvará foi concedido, em 2000.

A declaração assinada por Bruno era uma das últimas exigências da Prefeitura para que a Renascer obtivesse a renovação do alvará de funcionamento de local de reunião para o imóvel onde o acidente ocorreu, no Cambuci. Procurado, o deputado não retornou as ligações da reportagem. A Renascer disse que todos os seus representantes se dispõem a colaborar com as investigações.

Os vizinhos da sede que desabou devem começar a voltar para casa hoje. Oito imóveis estão interditados desde o dia do desabamento. Seis casas devem ser liberadas hoje e outras duas amanhã, segundo a Defesa Civil. Com o risco de queda da parede da igreja, cinco famílias que moram na vila da Rua Robertson estão em um flat na Aclimação. “Imagino que é por redução de custos”, diz a administradora de empresas Maristela Gomes, de 35 anos. Ela conta que não consegue falar com ninguém da Renascer.

Fonte: Abril