Dom Rogelio Livieres, bispo da diocese paraguaia de Alto Paraná, localizada na fronteira com o Brasil, anunciou ontem a suspensão de três sacerdotes baseado em argumentos de que eles têm comportamentos homossexuais. Em um comunicado, o bispo relatou a medida mas esclareceu que nenhum dos religiosos foi acusado de pedofilia.

O anúncio chega apenas dois dias após a polêmica instaurada pelo secretário de Estado do Vaticano, Tarcisio Bertone, que declarou durante visita ao Chile que os casos de pedofilia na Igreja Católica teriam sua origem na orientação sexual dos padres, e não no celibato. As afirmações renderam críticas ao redor do mundo.

Indo ao contrário da tendência em diversos países europeus após as polêmicas de pedofilia na Igreja, que anunciaram investigações sobre os abusos, a Igreja Católica paraguaia anunciou também o arquivamento de uma denúncia efetuada em 2008 contra o padre Mario Sotelo, acusado de ter abusado sexualmente de um menino.

O clérigo justificou a decisão afirmando que “quando escutamos ambos, não emergiram indícios convincentes para sustentar a acusação”.

O caso é investigado pelo ministério público de Alto Paraná, que, por sua vez, afirmou que ainda existem dúvidas em relação ao fato. A denúncia foi feita em novembro de 2008 por um jovem identificado como Alcides Guzmán.

O episódio se soma às recentes acusações de pedofilia divulgadas em diversos países, como Brasil, México, Estados Unidos e Canadá. Na última segunda-feira, diante de questionamentos sobre a postura dos membros da Igreja Católica, o Vaticano publicou em seu site as orientações de como devem agir os bispos diante de tais situações.

Em um dos trechos do documento, a Santa Sé determina que as dioceses devem investigar “qualquer acusação de abusos sexuais contra menores da parte de um sacerdote”.

O texto também esclarece que todas as suspeitas comprovadas posteriormente devem ser reportadas à Congregação para a Doutrina da Fé com “todas as informações necessárias”.

Fonte: Folha Online