O ator Brad Pitt disse que fez as pazes com a religião, após ter tido uma crise de fé durante o ensino secundário.

Em declarações à próxima edição da revista americana “Parade” –publicada todo domingo em 380 jornais dos Estados Unidos– Brad disse que durante esse período escolar assistia cerimônias religiosas e sentia o mesmo quando ia a shows de rock.

O ator, que estudou jornalismo na Universidade do Missouri, diz que se descobriu quando começou a questionar a religião. “Não foi uma perda de fé”, declarou.

Ele afirmou que na época acreditava que podia enfrentar qualquer situação e teve apoio de uma amiga, filha de um pastor metodista. “Ela não estava apaixonada por mim, mas ficamos juntos por quase um semestre. Ela me ajudou mais que ninguém a me colocar na direção correta”, disse o atual marido de Angelina Jolie.

O ator, que cresceu numa família batista, afirmou que hoje em dia acredita que a “religião funciona” e que “há consolo nela”. Para ele, no momento, a fé é um ‘código pessoal de valores”. “Defini minhas crenças e vivi de acordo com elas e não as traí. Uma delas é crer na minha família”, disse.

Pitt, que tem quatro filhos com a atriz Angelina Jolie, também revela que acredita no trabalho social que os dois fazem e que nunca pensou em ser político, mas disse que amigos como os atores George Clooney e Ben Affleck deveriam se dedicar à política.

O ator atualmente está promovendo o filme “The Assassination of Jesse James”.

Fonte: Folha Online