Após assumir uma relação homossexual, a cantora de axé Daniela Mercury, atacou o deputado-pastor Marco Feliciano, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara.

“Numa época em que temos um Feliciano desrespeitando os direitos humanos, grito o meu amor aos sete ventos. Quem sabe haja ainda alguma lucidez no Congresso brasileiro!”, escreveu Daniela em comunicado.

A declaração da cantora Daniela Mercury assumindo uma relação homossexual com a jornalista Malu Verçosa fez com que no Google, até as 19h de ontem, já houvesse meio milhão de links a respeito da declaração.

O assunto repercutiu em Brasília, durante reunião da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, mas como Marco Feliciano havia ordenado que o encontro fosse fechado ao público, manifestantes contrários à permanência do pastor na comissão fizeram-se ouvir cantando, do lado de fora, hits da baiana, como o “Canto da Cidade”.

Feliciano, por meio de sua assessoria, disse não ver relação entre a atitude de Daniela Mercury e a polêmica envolvendo sua permanência na comissão: “Feliciano avalia que cada pessoa deve se assumir como quiser e que isso tem que ser respeitado”.

O protesto de Daniela Mercury contra Feliciano soma-se ao de outros artistas, como o da atriz Fernanda Montenegro, 83, que deu beijo na boca da atriz Camila Amado, 77.

Ontem foi a vez de Yasmin Brunet, que postou no Instagram foto em que é vista dando um selinho na atriz Antonia Morais. E então a seguinte legenda: “Amor não escolhe raça ou sexo. É livre. Feliciano não nos representa.”. O ator Bruno Gagliasso resolveu protestar contra Marco Feliciano e também publicou uma foto, na qual aparece beijando Matheus Nachtergaele.

[b]Fonte: Folha de São Paulo, Google, O Povo[/b]