A cantora inglesa Lily Allen causou polêmica em uma entrevista recente, ao tecer elogios a cocaína, criticar o Cristianismo e atacar a sua própria gravadora, a EMI.

Conforme reportagem de capa do site do tabloide inglês “The sun”, a intérprete de “Smile” enfureceu leitores do jornal com suas declarações.

“Você não escuta sobre os benefícios de se consumir cocaína. Eu gostaria que as pessoas não fossem tão sensacionalistas. Algumas pessoas simplesmente não sabem como consumir drogas”, disse a cantora, que foi chamada de “doente, ingênua e sem direção” pelos leitores.

“Eu conheço pessoas que cheiram cocaína três vezes por semana e se levantam no dia seguinte e vão trabalhar”, falou Lily na mesma entrevista.

A cantora admitiu que já fez uso da droga, porque ela se sentiu deslocada quando todos aos seu redor faziam, mas que não gostou da experiência.

Em relação ao Cristianismo, a cantora disse que não “gosta muito da religião”.

“Cresci em um colégio católico ouvindo que gays, drogas e o adultério eram coisas ruins. Todos os amigos da minha mãe são gays, meu pai tinha casos fora do casamento e havia drogas na minha casa enquanto eu crescia. Achei aquilo cruel”, disse.

Para finalizar, a cantora disparou contra a sua gravadora, o selo EMI, criticando o valor de seu contrato e afirmando que pelo número de discos que ela vendeu, deveria ganhar privilégios como suítes em hotéis caros e um motorista à disposição, por exemplo.

Fonte: JB Online