O primeiro-ministro da Suécia, Fredrik Reinfeldt, lamentou nesta terça-feira que cidadãos mulçumanos possam ter se sentido ofendidos pela recente publicação, em um jornal sueco, de uma caricatura do profeta Maomé, mas assinalou que a liberdade de expressão é um direito “inalienável” na Suécia.

“Lamento se algumas pessoas se sentiram ofendidas. Pessoalmente, eu não faria nada que pudesse ser interpretado por outras religiões como provocador ou insultante”, afirmou Reinfeldt em um comunicado publicado após um encontro com representantes de organizações mulçumanas suecas.

Segundo o primeiro-ministro, a sociedade sueca acredita que “os políticos não devem julgar a liberdade de imprensa e de expressão, que constituem uma parte inalienável do nosso país e de nossa democracia”.

Reinfeldt também disse que “o respeito mútuo e a compreensão” caracterizam a sociedade sueca.

A publicação, em um jornal sueco, de uma caricatura de Maomé com um corpo de cachorro, no dia 18 de agosto, tem sido motivo de polêmica em diversos países mulçumanos.

Fonte: AFP