O casamento estável entre um homem e uma mulher é um dos “princípios não negociáveis” para uma “correta convivência civil e cristã”, defendeu nesta terça-feira o cardeal Saraiva Martins no Santuário de Fátima.

Perante milhares de peregrinos, que celebram o aniversário do aparecimento de Nossa Senhora na cidade portuguesa de Fátima, D. Saraiva Martins reiterou vários valores essenciais da Igreja, tendo destacado o “matrimônio como união estável e fiel de um homem e de uma mulher, e não de qualquer outro modo”.

A vida, a família, a “caridade concreta, a dignidade pessoal estendida a todos os momentos e a todas as suas dimensões da existência” foram outros dos “princípios não negociáveis”, enumerados pelo cardeal, prefeito da Congregação para a Causa dos Santos.

“Este é o fundo e o ambiente – humano e cristão – no qual se colocam a mensagem e os acontecimentos da Cova da Iria”, local onde três crianças teriam tido as visões 1917, disse o cardeal aos peregrinos, que encheram o Santuário de Fátima.

Diante dos peregrinos, D. Saraiva Martins afirmou que o “homem de hoje, iludido e desiludido da vida, por vezes parece ter desistido de esperar” por um futuro melhor porque “caíram as consideradas certezas das ideologias” e “o bem-estar e o consumismo que aparentemente satisfazem as nossas necessidades e exigências” confirmam a “sua total inconsistência” e “radical incapacidade para fazer feliz o homem do nosso tempo”.

Perante o abandono público da fé e da razão, D. Saraiva Martins contrapõe a mensagem de Fátima, que veio marcar um “século ensangüentado pela loucura de duas Guerras Mundiais, marcado por nacionalismos exasperados, por ideologias atéias e materialistas”.

O tema da peregrinação deste ano, que evoca os 91 anos das aparições, é uma referência à necessidade dos católicos serem testemunhos da fé católica no mundo, fazendo alusão à questão do ateísmo na Europa.

Confissões

As novas instalações da Igreja da Santíssima Trindade, em Fátima, provocaram um aumento do número de confissões de peregrinos este ano.

Além de salas, o santuário inaugurou 44 confessionários, 12 dos quais destinados a línguas estrangeiras.

Até a manhã desta terça, foram confessadas 5.770 pessoas, 1.200 a mais do que no ano passado.

Pelo lava-pés, passaram 1.105 pessoas, o posto de socorros atendeu 613 fiéis e mais de 1.185 pessoas cumpriram promessas na Capelinha das Aparições.

Para apoiar os peregrinos, o santuário mobilizou 195 voluntários da instituição e 36 escoteiros.

No total, 140 grupos de 31 países se inscreveram para a peregrinação à cidade-santuário.

Fonte: Lusa