O caso da menina cristã que foi acusada de blasfêmia no Paquistão foi anulado por um tribunal de Islamabad nesta terça-feira, informou o Portas Abertas.

O advogado de Rimsha Masih, Akmal Bhatti afirmou que o caso foi considerado um abuso de direito.

“O tribunal revogou a acusação, declarando Rimsha inocente”, disse ele.

Durante o processo de julgamento da menina, um imã de uma mesquita, Mehrabadi, foi acusado de plantar provas contra a menina cristã e será julgado por acusar falsamente.

Rimsha foi presa em 17 de agosto deste ano. Ela foi acusada de profanar textos islâmicos. Por sua idade, seu caso foi para o tribunal de menores onde foi confirmada também a sua incapacidade mental.

O caso chamou a atenção da mídia internacional e causou debates sobre as leis rigorosas de blasfêmia no Paquistão.

Rimsha foi libertada da prisão no início de setembro após o pagamento de uma fiança de 1 milhão de rúpias (cerca de 21 mil reais).

A jovem está com a família em lugar de conhecimento apenas das autoridades. “Ela deixou a prisão e foi levada de helicóptero para um lugar seguro, onde ficará com a família”, declarou o ministro paquistanês Paul Bhatti.

[b]Fonte: The Christian Post[/b]