O aiatolá Ahmad Jannati, responsável do sermão de hoje na mesquita de Teerã, assegurou que a população iraniana apóia firmemente o direito do país a ter acesso à tecnologia nuclear com fins pacíficos.

“Os 70 milhões de habitantes do Irã apóiam firmemente o uso pacífico da energia nuclear”, disse Jannati em um sermão na mesquita da Universidade de Teerã.

O clérigo, citado pela agência oficial “Irna”, insistiu em que o acesso a esta tecnologia é “inevitável” e acrescentou que o país não deseja fabricar armamento nuclear.

“É inevitável. Todo o povo, o Governo e as instituições estão determinados a conseguir ter acesso à energia nuclear pacífica.

Nossa nação obterá seu direito nuclear, não importa que decisões sejam tomadas, o povo não abandonará sua reivindicação”, ressaltou.

O aiatolá afirmou que “a nação iraniana não busca armamento nuclear porque isso não encaixa em nossa moral, cultura e religião”.

Jannati acrescentou que as possíveis sanções ao país por causa de seu polêmico plano nuclear não terão efeito e advertiu que estas sanções podem prejudicar os países ocidentais.

“O Irã esteve sob sanções durante um longo tempo e vivemos com isso. Ganharam algo?”, perguntou o clérigo, diante de milhares de fiéis, antes de advertir o Ocidente de que novas sanções “lhe colocarão em problemas”.

A oração do meio-dia de sexta-feira realizado na Universidade de Teerã é um dos principais palanques políticos do Irã, onde os líderes religiosos expressam seus pontos de vista.

Fonte: EFE