Igrejas de 20 países já enviaram proposições de atividades para a Semana Mundial pela Paz Palestina e Israel, convocada pelo Conselho Mundial de Igrejas (CMI) de 4 a 10 de junho. A Semana tem por meta gerar ação conjunta das igrejas em favor da paz justa.

“Quando os meninos de Shufa [na franja ocidental] jogam próximo ao assentamento, os colonos israelenses acreditam que sua segurança está ameaçada. Os meninos foram detidos e interrogados durante horas”, relatou acompanhante ecumênico em visita ao Território Palestino Ocupado num blog da página web da Semana Mundial.

Trazer uma pequena pedra para a construção de um marco no local de culto, lembrando as “pedras vivas”, é uma das sugestões que circulam no Reino Unido entre as 12 igrejas e ministérios que apóiam a Semana Mundial.

Na Noruega, as sete organizações eclesiais do país vão promover debate envolvendo sociedade civil e políticos sobre o investimento ético e os assentamentos.

“Serão enviadas à Palestina orações e cartas dos meninos refugiados em Mindanao, que foram deslocados por causa da intensificação da guerra entre o governo e as forças rebeldes muçulmanas”, escreve um organizador das Filipinas ao CMI.

Nos Países Baixos, igrejas organizarão exposições sobre acontecimentos e situações na Faixa de Gaza.

Fonte: ALC