De acordo com a Classificação de países por perseguição deste ano, divulgado pelo ministério Portas Abertas, a perseguição aos cristãos continua incessante em muitas áreas. A reclusa nação comunista da Coréia do Norte encabeça a lista, seguida da Arábia Saudita, Irã, Somália e Maldivas.

Acredita-se que, atualmente, entre 50 mil e 70 mil cristãos estão sofrendo em campos de concentração na Coréia do Norte. Na Árabia Saudita, cultos públicos não muçulmanos são proibidos e podem ser punidos com a morte. No Irã, houve pelo menos 8 incidentes no ano passado em que muçulmanos que se converteram foram detidos e mantidos presos por várias semanas.

“Se pretendemos fazer a diferença para a Igreja nessas regiões opressivas, o primeiro passo é a conscientização, o que faz da Classificação de países por perseguição uma ferramenta extremamente importante”, disse Johan Companjen, presidente da Portas Abertas Internacional. “Depois, precisamos orar e agir para produzir mudança.”

Completando os 10 primeiros países da Classificação estão Iêmen, Butão, Vietnã, Laos e Afeganistão. Embora o Departamento de Estado dos Estados Unidos tenha retirado o Vietnã de sua lista de liberdade religiosa dos “Países de preocupação específica” em 2006, muitos observadores do país estão convencidos de que pouca coisa mudou.

Em 2006, as condições para os cristãos pioraram no Uzbequistão, Eritréia, Comores, Iraque, norte da Nigéria, Argélia, Mauritânia, Turquia, Etiópia e nordeste do Quênia. Na Eritréia, mais de 2 mil cristãos estão presos em delegacias, bases militares e cadeias espalhadas por todo esse país do leste africano.

Também houve algumas tendências positivas. Os cristãos conseguiram melhoras no Marrocos e na Indonésia em 2006. A esperança aumentou para a Igreja no Nepal, um país que não é mais oficialmente hindu e aonde se chegou a uma tênue paz entre os rebeldes maoístas e o governo.

Tendência preocupante

Mas uma possível tendência que preocupa os líderes da Portas Abertas é se os cristãos do mundo livre estão perdendo o interesse nos problemas da Igreja Perseguida.

“Durante os últimos dez anos, temos visto a situação mudar das reportagens isoladas sobre a perseguição na mídia cristã para agora, quando é comum assistir à cobertura de ataques aos cristãos mesmo na imprensa secular”, disse Jeff Taylor, vice-presidente de desenvolvimento e comunicações da Portas Abertas Internacional. “Minha preocupação é se o aumento dos relatos está resultando em uma correspondente perda de interesse, um tipo de ‘cansaço das notícias de perseguição aos cristãos’.”

“Não podemos deixar isso acontecer”, completou Johan Companjen. “Quando compreendemos que há centenas de cristãos presos por causa da fé em um único país – a Eritréia – isso deve fazer com que redobremos nossas orações e esforços para ajudar.”

Em breve Portas Abertas divulgará a relação completa dos países que integram a edição 2007 da Classificação de países por perseguição, assim como o novo mapa, devidamente atualizado.

Fonte: Portas Abertas