Oficialmente a Igreja Metodista Unida nos Estados Unidos não reconhece as cerimônias de casamento gay.

Apesar de oficialmente a Igreja Metodista Unida nos Estados Unidos não reconhecer e não autorizar a realização de cerimônias de casamento gay em seus templos, é cada vez maior o número de pastores da denominação que se rebelam contra a determinação.

O reverendo Steve Heiss é um dos que desafiam o clero da igreja antes mesmo da aprovação do casamento gay pelo parlamento de seu estado, Nova York. Em 2002, realizou sua primeira cerimônia, e após a aprovação da lei em 2011, realizou outros seis.

“Eu sabia que valia a pena o risco. Foi tão certo. Você só tem uma oportunidade de fazer isso em sua vida. Eu não podia imaginar que alguém ficaria tão chateado com isso”, comentou ele, sobre a decisão da igreja de avaliar a denúncia feita contra ele. A decisão da igreja sobre o caso deverá ser tomada hoje, 20 de setembro, segundo informações do Charisma News.

Ele vê o seu próprio caso como uma amostra de que “mais Metodistas Unidos estão desafiando a política da Igreja”. Pelo menos três outros reverendos enfrentam queixas da igreja por presidir casamentos do mesmo sexo, e pelo menos uma pastora enfrenta uma queixa de ser lésbica praticante, o que resultaria na perda de suas credenciais.

Outro que enfrentam queixas é o reverendo Thomas Ogletree, 79 anos, reitor aposentado da Drew Theological Seminary e Yale Divinity School University. Ogletree está sendo investigado por ter presidido, no dia 12 de outubro de 2012, o casamento de seu filho com outro homem e se recusar a prometer que não voltará a celebrar um casamento gay novamente.

Segundo Andy Oliver, diretor do Ministérios em Rede, um grupo Metodista Unido independente, o crescimento de pastores decididos a passar a realizar casamentos gay é crescente. Em seu grupo, existem 569 igrejas que se propuseram a fazer declarações de boas-vindas a todas as pessoas, independentemente da orientação sexual ou identidade de gênero.

“Pelo menos 1.500 reverendos assinaram uma declaração, afirmando publicamente que estão dispostos a oficiar casamentos do mesmo sexo”, disse Oliver.

[b]Fonte: Gospel+[/b]