Muitas pessoas veem barreiras e preconceitos em outras igrejas. Aqui não, as pessoas são livres. A igreja não pode julgar, ela tem de estar lá para mudar a sua vida e não sua aparência”. A declaração do pastor Felipe Martins, da Igreja Evangélica Bola de Neve, é uma das justificativas para o aumento do número de protestantes.

No Rio Grande do Norte são 247.755 (Censo 2000-IBGE). Estima-se que, só em Natal, existam cerca de 800 pontos de culto, média de uma igreja para cada grupo de 900 pessoas.

“O protestantismo está ligado ao princípio da livre interpretação, cada um lê e interpreta o Evangelho da forma como acha melhor. Por isso, existem várias denominações diferentes. Se faço parte de uma igreja e passo a discordar do ponto de vista, tenho liberdade de mudar e criar uma outra”, explica o professor do Departamento de Ciências Sociais da UFRN, Orivaldo Lopes Jr.

Foi o que motivou a criação da Comunidade Cristã Nova Esperança (CCNE), uma igreja evangélica inclusive para todas as pessoas, independente de sua orientação sexual. “Deus diz na bíblia que seremos salvos pela graça e não pela cor ou pela sexualidade. Ele nunca se referiu ao homossexualismo com condenação. E muitas igrejas condenam os homossexuais. A forma como a homossexualidade aparece na bíblia precisa ser estudada, não é possível interpretá-la isoladamente”, explica a líder da CCNE, R.O .

A CCNE chegou a Natal em 2005 e são 33 filiados, mas chega a receber o dobro de pessoas nos cultos dos finais de semana. “Sou evangélico há 20 anos, mas há oito meses vim para a Comunidade porque o pastor da antiga igreja queria que eu mudasse o que sou. Como vou mudar algo que é natural de mim? Jesus aceita cada um como é porque o que importa é fé”, disse J.O.

A Assembleia de Deus, que tem mais de 100 mil membros no RN, não é aberta para essas mudanças. A igreja possui alguns ‘pré-requisitos’, que precisam ser cumpridos pelos que querem fazer parte dela. “Nós não concordamos com tatuagens ou piercings. Diferente da Bola de Neve, que é mais flexível, mas nem por isso consideramos que eles estão errados. Essa é a diferença do protestantismo, a liberdade de interpretação da bíblia”, diz o pastor da Assembleia de Deus, do Conjunto Santa Catarina, Hilton Andrade.

Ao mesmo tempo que a expansão do protestantismo tem o lado positivo – o aumento do número de fieis – o surgimento indiscriminado de novas igrejas pode enfraquecer politicamente a religião. “Às vezes, essa nova igreja não gera impacto porque é uma unidade solta e pode levar à competição porque quando se perde um fiel, ele é um déficit para um e ganho para outro. É por isso, que para quem está de fora, a igreja evangélica pode parecer um empreendimento”, explica Orivaldo Lopes Jr.

Isso porque os protestantes entendem o dízimo como demonstração de compromisso e um sinal das bênçãos de Deus. Mas algumas congregações, como os neopentecostais (Igreja Universal do Reino de Deus, é um exemplo), transformaram o dízimo num princípio central. É o que os estudiosos chamam de ‘Teologia da Prosperidade’. “Para quem está lá dentro é normal, é uma espécie de troca, mas isso abre espaço para uma série de explorações, que pode ocorrer em qualquer religião”, conclui o professor do Departamento de Ciências Sociais da UFRN.

Igreja evangélica: fundação é simples

A facilidade de fundar uma igreja evangélica é um outro fator que ajuda na expansão do protestantismo. Qualquer pessoa pode criar uma nova denominação, não é necessário um registro para funcionar. Muitas começam na garagem da casa de algum membro e só depois são registradas em cartório.

“Começamos no apartamento de um dos membros, depois no Parque das Dunas e só em outubro de 2006 foi feito o registro cartorial”, conta a líder da CCNE.

A Bola de Neve surgiu, em 2001, de um Ministério de Evangelismo voltado para jovens. O local, um surf shop em São Paulo. Hoje, a igreja é registrada e está em praticamente todo o litoral do Brasil. Para que seja feito o registro é necessário elaborar um estatuto social, onde vai ser definido tudo sobre a Igreja, nome, sede, associado. Em Natal, pode ser feito no 2º Cartório e custa cerca de R$149,00.

Procedimento bem diferente utilizado no Catolicismo. Para que uma nova paróquia seja criada, é preciso uma análise do território, da população, da estrutura do local. E quem tem a autonomia para criar é o arcebispo. “O padre pode fazer uma proposta, criar uma Área Pastoral para ver se é possível e necessária a criação de uma nova paróquia. Só depois de seis meses é que o arcebispo pode efetivá-la como paróquia”, explica o chanceler da arquidiocese de Natal, padre Júlio César Cavalcante.

Um exemplo no RN é a capela de São Miguel do Gostoso, que em 2008 foi proclamada Área Pastoral, quase Paróquia, pelo arcebispo metropolitano, Dom Matias Patrício. Questionado sobre o aumento do número de evangélicos, padre Júlio César diz que o Brasil ainda é o maior país católico do mundo. “A nossa preocupação está no fato das pessoas não acreditarem mais em Deus. Às vezes saem de religião em religião, não encontram esse Deus e abandonam a fé”.

Igrejas menos tradicionais são vítimas de preconceito

O preconceito é um grande problema para os membros das igrejas ‘menos tradicionais’ como a Bola de Neve e a Comunidade Cristã Nova Esperança. Até mesmo entre os evangélicos de outras congregações.

“Sofremos preconceito dos heteros e dos próprios gays porque alguns procuram a CCNE pensando que vai encontrar liberdade, mas não. A gente defende que os relacionamentos, seja hétero ou homossexuais, precisam de ética”, conta um dos membros da CCNE.

“As pessoas julgam porque não conhecem. Pregamos a bíblia sagrada. Somos radicais contra o pecado. Defendemos o sexo só após o casamento, somos contra o álcool e qualquer outro tipo de droga”, conta o pastor, Felipe Martins da Igreja Bola de Neve, que tem hoje 400 membros, a maioria com idade entre 18 e 35 anos.

Entre eles a advogada Júlia Cunha, 27 anos, que está há seis meses na Bola. “A diferença é apenas o estilo da igreja. A doutrina é mesma”, diz. E o estilo é mesmo diferente. A começar pelo nome da Igreja. No altar, uma prancha de surf, na parede ao invés da cruz – símbolo do cristianismo – um painel com desenho do mar e animais marinhos. “O nome surgiu meio que numa brincadeira, mas retrata bem nossa evolução. Começamos a crescer, não tínhamos nome e alguém sugeriu o Bola de Neve”, explica Felipe Martins.

Nos cultos são feitos louvores, leitura da bíblia, reflexão da palavra. A liturgia é semelhante a das outras igrejas protestantes. “A nossa doutrina é protestante com fé em Jesus Cristo. A bíblia é a nossa única fonte de regra e fé e não é porque somos tidos como diferentes que não temos fé”, diz D.O., membro da CCNE.

60 anos de missão evangélica

Conhecida pelo pioneirismo de suas ações de evangelização, a Missão Evangélica Pentecostal do Brasil no Alecrim completou 60 anos de fundação em Natal.

A MEPB chegou a Natal no final da década de 40, ficou conhecida como a “Tenda Catedral’ por realizar seus cultos embaixo de uma lona de circo armada no terreno na avenida Presidente Bandeira, no Alecrim.

Ao longo das últimas seis décadas, a Igreja promoveu sua expansão em Natal e em praticamente todo o Estado. Hoje, são quase 240 templos espalhados por 16 Estados e cerca de 20 mil cristãos em todo o país.

Na última semana a MEPB realizou diversas atividades em comemoração aos 60 anos de sua criação. O pastor Misael Lins, que administrou a igreja nos últimos 18 anos, foi o responsável pela organização dos eventos.

Um dos mais esperados aconteceu no sábado. Para relembrar os primeiros passos e resgatar a história da MEPB, foi realizado, um culto debaixo de uma lona, num terreno cedido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb).

Estiveram presentes, representantes da igreja norte-americana ‘The Church by the Side Of the Road’, considera a ‘igreja-Mãe’ da denominação brasileira.

Além das atividades religiosas, como os cultos, louvores e pregações, a festa de aniversário da igreja do Alecrim, resgatou o trabalho e a memória de seus pastores com a inauguração da ‘galeria dos Pastores’ da MEPB nesses 60 anos de existência.

A galeria está instalada no salão harland Graham, no templo sede da igreja no Alecrim, que fica na avenida Presidente Bandeira nº 603.

História

No ano de 1939, na cidade de Seattle, nos Estados Unidos, desenvolvendo sua visão missionária, o casal Harland e Hazel Graham veio para o Brasil. Essa igreja local, se tornou a primeira fonte missionária, denomina-se The Church By The Side Of The Road (Igreja da Beira da Estrada).

Para nossa cultura, esse nome é até engraçado, pois parece não ter muito sentido e, às vezes, pode até ensejar a interpretação de que seja algo de não muito valor

Fonte: Tribuna do Norte