O processo criminal do protestante Aimurat Khayburahmanov foi encerrado em 26 de setembro e ele foi libertado na sala de julgamento, no Uzbesquistão.

Aimurat, 24 anos, foi liberado após decisão da juíza da Corte Penal da Cidade de Nukus, Yelena Medetova, que descartou as acusações de extremismo religioso e o anistiou da acusação de ministrar ensino religioso sem permissão oficial.

A decisão da juíza de indeferir a acusação, feita com base no Artigo 244-2, contra Aimurat surpreendeu. Permanecem não esclarecidos os motivos de sua libertação.

Ele não tinha como esconder sua alegria por estar em liberdade após mais de três meses de detenção. “Eu agradeço a todos que pensaram em mim enquanto eu estava preso e deram seu apoio.”

Aimurat foi preso em 14 de junho, mas seu processo só teve início em 15 de agosto no Juízo Penal da Cidade de Nukus.

Ele foi processado com base no artigo 229-2, que pune a prática do ensino religioso sem permissão oficial, e no artigo 244-2, que prevê pena de até 15 anos de prisão por estabelecer ou participar de “organizações religiosas extremistas”.

Era esperado que a Corte proferisse sentença em 21 de agosto, mas nesse dia o julgamento foi adiado.

Fonte: Portas Abertas