A polícia Estado de Karnataka, na Índia, prendeu mais quatro cristãos sob acusações feitas por extremistas hindus.

Em 27 de outubro, a polícia no distrito de Udupi deteve quatro jovens cristãos, dois quais três são garotas, acusados de forçar conversões de hindus.

Conforme a rede de notícias Dajiworld, os cristãos, identificados somente como Robin, Karen, Asha e Flavin, são oriundos da região de Mabukal, próximo a Brahmavar.

A polícia realizou algumas detenções depois que Girish Kundapur, líder de uma organização extremista hindu, registrou uma queixa na polícia alegando que os jovens cristãos estavam “visitando as casas de hindus e enganando o povo”.

Girish também acusou os cristãos de forçar a conversão de pessoas ao cristianismo. Os jovens negaram a alegação, dizendo que não estavam encorajando conversões, mas somente pregando suas convicções.

“Não forçamos ninguém a se converter – não acreditamos em conversão forçada”, disse um dos presos, segundo a Dajiworld.

A polícia está investigando as acusações de conversão forçada contra os jovens.

Acusações falsas

O distrito de Udupi tem uma forte presença de hindus extremistas. A edição de setembro de 2006 de um periódico mensal, “Communalism Combat”, disse que incidentes anticristãos aconteceram em vários lugares nos distritos de Udupi e de Dakshina Kannada.

“Em alguns lugares, cabanas pertencentes aos dalits foram destruídas, imagens de Cristo foram queimadas e os ativistas hindutva atacaram as reuniões de oração, tudo sob o pretexto de parar com as conversões forçadas”, declarou.

Em 14 de outubro, a polícia Karnataka já tinha detido oito funcionários cristãos em uma casa para destituídos no vilarejo de Thyagarathi, próximo a Sagar, sob acusações de confinamento ilegal e seqüestro, depois que 500 aldeãos atacaram violentamente a instalação, motivados por falsas informações no noticiário da televisão.

Depois da detenção, os funcionários da casa para destituídos Lourd Matha Sevam Ashram permaneceram em custódia judicial pela corte do distrito de Shimoga por realizar “assembléia ilegal, confinamento ilegal, seqüestro e fraude”.

Em 4 de agosto, 15 extremistas hindus do Bajrang Dal entraram em uma prisão do distrito em Mardala e atacaram Chetraven Rajan, um empresário cristão que foi falsamente acusado de obrigar sua esposa de cometer suicídio. As autoridades da prisão não fizeram nenhuma tentativa para proteger Chetraven, nem registraram nenhum caso contra os agressores (leia mais).

Ataques sucessivos

Muitos cristãos dizem que os ataques anticristãos e detenções aumentaram em Karnataka desde que o governo do partido Janata Dal-Secular, em coligação com o partido Bharatiya Janata, tomou o poder do Partido do Congresso em fevereiro.

Mais recentemente, aldeãos tribais de Lambani, no distrito Chitradurga, de Karnataka, proibiram o pastor Revanna Naik e sua congregação de realizarem culto no domingo, 29 de outubro, e os forçaram a se prostrar e adorar deuses hindus (leia mais).

Três das 11 famílias cristãs da igreja do vilarejo de Kurumaradikere se recusaram a se prostrar diante dos ídolos ou participar do ritual de prasad, que indicaria submissão aos deuses hindus. O conselho local principal ordenou que o vilarejo excluísse essas famílias.

Em 3 de setembro, os extremistas atacaram o evangelista de 60 anos Varghese Thomas, e a sua esposa no vilarejo de Guttigar, localizado no distrito de Subramanaya. A caminho de uma reunião, o casal viu uma aparente vítima de um acidente de motocicleta deitada no meio da rua, e o evangelista saiu de seu carro para ajudar a vítima.

Assim que Varghese virou a vítima, contudo, o homem atirou pó de pimenta malagueta em seus olhos, cegando-o temporariamente. Aproximadamente 15 extremistas, que estavam escondidos nos arbustos por perto, então saltaram para fora e atacaram Varghese, acusando-o de enganar as pessoas para ir às reuniões de oração (leia mais).

Em 20 de agosto, cerca de 10 extremistas do RSS interromperam o culto de domingo da Igreja Comunidade Bom Pastor no distrito de Kolar (leia mais). Em 15 de agosto, um inspetor policial e uma multidão de extremistas hindus interromperam uma reunião de oração em Ambedkar Beedhi, na cidade de Malur, localizada no mesmo distrito. O inspetor Shiva Kumar, juntamente com extremistas, atacou violentamente a casa de David Narayanaswamy, onde estava acontecendo uma reunião de oração.

Eles arrastaram o conferencista convidado, o reverendo Peter Muniappa, David e alguns outros para fora e esmurraram-nos no rosto. Os oficiais e os extremistas hindus então levaram os cristãos à delegacia de polícia, onde agrediram o reverendo Peter.

Fonte: Portas Abertas