Um grupo de gays que se intitulam cristãos levou cartazes de protesto durante a 13ª Parada Gay, neste domingo, em São Paulo, com dizeres relacionando Deus com a opção sexual. Eles estavam atrás do trio principal do evento. Segundo Égleton Estevão Gaia, 25, há muito preconceito contra os homossexuais em igrejas evangélicas.

Ele está há um ano e meio na igreja Comunidade Cristã Nova Esperança, que tem um “pastor” homossexual e que, segundo Gaia, é aberta aos homossexuais. De acordo com Gaia, a igreja tem filiais em várias cidades da Grande São Paulo e na Argentina e pretende abrir uma filial em Portugal.

Gaia cresceu na igreja Assembleia de Deus. Disse que, desde pequeno, sabia que era gay e assumiu sua opção sexual para a família aos 18 anos. Gaia veio acompanhado da irmã, Marinês Ferreira, 30, e da sobrinha Maria Alice, 10.

É a segunda vez que Maria Alice participa da Parada e diz que gosta muito do evento. Ela sabe há dois anos que o tio é gay. Ela ficou sabendo pela mãe dessa opção, quando disse que não conhecia nenhum gay.

Mais protestos

Um outro protesto reunia um pequeno grupo de pessoas, próximo também ao trio elétrico principal. Cláudio Henrique de Silveira, 36, reclamava uma solução para a morte de seu irmão.

Reunido com amigos, ele alegava que a morte não está sendo bem apurada pela polícia pelo fato de que seu irmão era homossexual.

Fonte: Folha Online