Pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha e divulgada pelo jornal Folha de São Paulo nesta segunda-feira (23) mostra que, no cenário para as eleições de 2018, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem apoio menor dos evangélicos. A pesquisa foi realizada com 2.772 pessoas em 194 municípios no final de setembro.

Segundo a pesquisa, no cenário em que seu nome é testado, Lula conta com 35% das intenções de voto para ocupar a Presidência da República no quadro geral. Considerando-se apenas os entrevistados que se declaram evangélicos, as intenções do ex-presidente caem para 29% na sondagem estimulada. Já entre os católicos, Lula possui 40% das intenções.

Os evangélicos são a segunda maior camada religiosa no Brasil, com 29% dos entrevistados, atrás apenas dos católicos, que representam 52% dos entrevistados.

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) e Marina Silva (Rede) encontram-se respectivamente em segundo e terceiro lugar entre os eleitores evangélicos, com 21% e 17% das intenções. Entre os católicos a posição continua a mesma, com 13% das intenções para Bolsonaro e 12% para Marina.

Entre os entrevistados, 14% dos que disseram ser evangélicos afirmaram que votarão em branco ou nulo. Dos católicos, 15% afirmaram que farão o mesmo.

Cenário sem Lula

Num cenário, porém, em que Lula fosse impedido de se candidatar, Marina passaria a ser a candidata preferida dos evangélicos, com 27% das intenções, enquanto Bolsonaro também subiria, para 23%. Já os votos brancos e nulos somam 21%.

Entre os católicos, Marina continuaria também em primeiro, com 21% das intenções frente aos 16% de Bolsonaro no segmento. Sem Lula, brancos e nulos também aumentam, indo para 28%.

Rejeição

A taxa de rejeição dos candidatos entre os entrevistados também sofre variações dentro dos segmentos religiosos. Lula é rejeitado por 46% dos eleitores evangélicos, Bolsonaro por 27% e Marina Silva por 21%.

Dos católicos, 39% afirmam que não votariam em Lula, 34% votariam em Jair Bolsonaro e 29% em Marina Silva.

No quadro geral, Lula, Bolsonaro e Marina têm rejeição de 42%, 33% e 26% respectivamente.

Fonte: Pleno News