A diocese católica de San Diego, na Califórnia, anunciou nesta quarta-feira a sua quebra após o fracasso nas negociações para resolver mais de 100 processos por abusos sexuais abertos contra seus sacerdotes.

Fontes judiciais informaram que será a maior diocese dos Estados Unidos a declarar quebra.

De acordo com documentos judiciais, os processos se referem a cerca de 150 denúncias de abuso sexual que datam da década de 1950 e afetam 60 sacerdotes. Os montantes exigidos em indenização chegariam a cerca de US$ 200 milhões.

Em seu site, o bispo de San Diego, Robert Brom, afirmou que tomou a decisão porque atender às exigências dos litigantes teria significado a ruína da diocese.

“As reivindicações superavam em muito os recursos financeiros tanto da diocese quanto de nossa seguradora”, disse.

Um advogado da diocese informou que a declaração de quebra seria apresentada à meia-noite, pouco antes de iniciar o processo judicial por mais de 140 supostos abusos sexuais.

A declaração anula automaticamente a possibilidade de um julgamento.

Irwin Zalkin, que representa quase 40 litigantes, afirmou que nenhum deles pretende quebrar a diocese.

“Pelo contrário, as vítimas estiveram dispostas a cooperar com o juiz para estabelecer valores justos e preparar uma solução que esteja ao alcance dos meios da diocese e de sua seguradora”, disse numa declaração.

Com cerca de 1 milhão de fiéis, a diocese de San Diego é a quinta do país a se declarar em quebra devido a denúncias por abusos sexuais supostamente cometidos por seus clérigos.

No ano passado, a de Los Angeles aceitou pagar US$ 60 milhões para resolver de forma extrajudicial os 45 processos contra 22 de seus sacerdotes.

Fonte: EFE